Escolha as suas informações

Horesca pede extensão da ajuda não reembolsável a todas as PME do setor
Luxemburgo 08.04.2020

Horesca pede extensão da ajuda não reembolsável a todas as PME do setor

.

Horesca pede extensão da ajuda não reembolsável a todas as PME do setor

.
Foto: Anouk Antony
Luxemburgo 08.04.2020

Horesca pede extensão da ajuda não reembolsável a todas as PME do setor

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
"Muitos estabelecimentos estão em grande dificuldade", com falta de dinheiro e com despesas por pagar, alerta a federação.

A federação nacional dos hotéis, restaurantes e cafés (Horesca) pede ao governo uma extensão da ajuda não reembolsável a todas as pequenas e médias empresas (PME) do setor.

O pedido surge, em comunicado, na sequência de um primeiro balanço da situação económica das empresas, feito pela federação, após três semanas de fecho no setor da hotelaria e restauração.

Segundo a federação Horesca, há "muitos estabelecimentos que estão em grande dificuldade", com falta de dinheiro e com despesas por pagar. Com este cenário, o risco de sobre-endividamento é real nos próximos meses, "podendo levar ao fecho de vários estabelecimentos durante ou após a crise". 


Covid-19. Empresas de entrega de comida estão a criar alternativas
"Take away" e entregas em casa são nesta altura a única forma de os restaurantes continuarem a faturar.

Apesar dos apoios públicos, como o regime de desemprego parcial, em que o Estado paga 80% dos salários, a Horesca refere que a situação geral permanece "muito preocupante" e "catastrófica" para as empresas com comércio sazonal. Neste sentido, a Horesca pede ao governo para prolongar a ajuda direta não reembolsável a todas as PME do setor, com menos de 9 funcionários, e pede ainda uma ajuda a todas as empresas através de acesso facilitado ao crédito.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas