Escolha as suas informações

Horas trabalhadas atingem nível de há um ano graças ao teletrabalho
Luxemburgo 23.12.2020 Do nosso arquivo online

Horas trabalhadas atingem nível de há um ano graças ao teletrabalho

Horas trabalhadas atingem nível de há um ano graças ao teletrabalho

Photo: Shutterstock
Luxemburgo 23.12.2020 Do nosso arquivo online

Horas trabalhadas atingem nível de há um ano graças ao teletrabalho

Diana ALVES
Diana ALVES
Após uma quebra de 16% durante o confinamento, o número de horas trabalhadas no terceiro trimestre deste ano recuperou os níveis de 2019.

  O número de horas trabalhadas no Luxemburgo recuperou o nível de há um ano graças, sobretudo, ao teletrabalho, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (Statec).

Depois de uma quebra de 16% durante o confinamento, o número de horas trabalhadas no terceiro trimestre deste ano regressou aos níveis do mesmo período do ano passado, assistindo-se a um ligeiro aumento de 0,5%. Sem surpresas, a exceção é o setor da Horeca, onde as horas trabalhadas caíram 17% na comparação homóloga. 


Teletrabalho continua a ser regra no Luxemburgo
"O teletrabalho deve ser reforçado e tornar-se a regra sempre que possível", reforçou o primeiro-ministro.

Impacto da crise

Em causa está o forte impacto da crise sanitária, que já obrigou o setor a parar duas vezes e a recorrer de forma maciça ao regime de desemprego parcial. No balanço global, a quebra no ramo da Horeca acaba por ser compensada por um aumento das horas trabalhadas noutros setores. É o caso dos setores público, da construção e financeiro, que apresentam aumentos de 6%, 4% e 3%, respetivamente, face ao terceiro trimestre de 2019.

40% dos trabalhadores em teletrabalho

O Statec explica que esta evolução é atribuída, em parte, ao recurso ao teletrabalho. No terceiro trimestre, cerca de 40% dos residentes continuavam a recorrer ao trabalho a partir de casa, verificando-se, mesmo assim, uma diminuição de 12% em relação ao trimestre anterior. 

Desagregando por setor, os trabalhadores da área financeira continuam a ser aqueles que mais optam pelo teletrabalho, com a taxa a rondar os 76%. Já a construção (6%), Horeca (9%) e a saúde (10%) são os setores onde, por razões óbvias, o trabalho no domicílio é menos frequente.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Sem surpresas, a pandemia da covid-19 está a afetar a evolução do emprego no Luxemburgo. No primeiro trimestre deste ano, o aumento do número de trabalhadores no país ficou-se pelos 0,3% face a igual período de 2019. No trimestre anterior, a subida tinha sido de 0,8%, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (STATEC).