Escolha as suas informações

Habitação: Mais de metade dos agregados são proprietários

Habitação: Mais de metade dos agregados são proprietários

Foto: Shutterstock
Luxemburgo 11.01.2018

Habitação: Mais de metade dos agregados são proprietários

Cerca de 69% dos agregados familiares do Luxemburgo são donos da casa ou apartamento onde vivem.

Cerca de 69% dos agregados familiares do Luxemburgo são donos da casa ou apartamento onde vivem.

É um número que aparece na nova série de infografias sobre o país, publicadas anualmente pelo Portal Oficial do Grão-Ducado do Luxemburgo, e que retratam diversos aspetos, como por exemplo demografia, emprego ou ainda habitação.

No capítulo dedicado à qualidade de vida, são referidos os “elevados preços do mercado imobiliário”. Exemplo disso é o preço médio de um apartamento em construção para venda, cujo metro quadrado ronda os 6.100 euros.

As infografias revelam, por outro lado, que 97% das habitações no Grão-Ducado respeitam os critérios mínimos de qualidade exigidos.

Os residentes a viver em agregados familiares de seis pessoas dispõem, em média, de 30,1 m² por pessoa, uma superfície que aumenta para 95,2 m² no caso das pessoas a morar sozinhas.

A publicação, que foi elaborada pelo Instituto Nacional da Estatística (Statec) e pelo Serviço de Informação e Imprensa (SIP) do Governo, está disponível em luxembourg.public.lu.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Agência Imobiliária Social: Faltam 30 mil casas sociais no Luxemburgo
A Agência Imobiliária Social (AIS) estima que faltem cerca de 30 mil casas para as famílias mais pobres no Luxemburgo. O diretor da AIS, Gilles Hempel, calcula que esse seja o número de habitações sociais que são atualmente necessárias no Grão-Ducado para albergar as famílias mais carenciadas.
Statec: Estúdios mais caros em média do que os apartamentos
Os preços elevados da habitação, para vender ou arrendar, são apontados, há décadas, como um dos maiores problemas, para quem chega e se quer instalar no Luxemburgo. O segundo trimestre deste ano confirmou essa tendência, com uma subida anual dos preços do imobiliário de 5,6%.