Escolha as suas informações

"Grave incidente diplomático". Bélgica acusa Luxemburgo de "desinformação"
Luxemburgo 2 min. 13.05.2020

"Grave incidente diplomático". Bélgica acusa Luxemburgo de "desinformação"

"Grave incidente diplomático". Bélgica acusa Luxemburgo de "desinformação"

Foto: DR
Luxemburgo 2 min. 13.05.2020

"Grave incidente diplomático". Bélgica acusa Luxemburgo de "desinformação"

Ana B. Carvalho
Ana B. Carvalho
Marie-Christine Marghem garante que Bélgica ainda está à procura de locais para armazenar os seus resíduos nucleares.

A ministra belga do Ambiente, Marie-Christine Marghem, acusou a homóloga luxemburguesa Carole Dieschbourg, de levar a cabo uma "campanha de desinformação". Em causa está a conferência de imprensa realizada esta terça-feira, no Grão Ducado, em que Dieschbourg desafiou a população a reagir contra a intenção da Bélgica em armazenar resíduos nucleares no subsolo de terrenos perto da fronteira com o Luxemburgo.

Os resíduos nucleares são substâncias altamente radioativas. A Bélgica lançou uma consulta pública transfronteiriça sobre o anteprojeto, ao qual Carole Dieschbourg pediu oposição por parte de várias organizações e entidades, uma vez que os resíduos "terão impacto nas camadas geológicas luxemburguesas", nomeadamente "na água potável que serve o país".


Bélgica quer enterrar lixo radioativo junto à fronteira do Luxemburgo
A ministra do Ambiente apelou hoje à população para se manifestar contra este projeto perigoso a nível ambiental e da saúde pública. Saiba onde estão planeados os depósitos.

"Os riscos transfronteiriços ainda não foram esclarecidos", disse na terça-feira a ministra do Ambiente luxemburguês aos jornalistas. "Seria irresponsável e também inaceitável decidir sobre tais projetos sem saber que efeitos a longo prazo terá na saúde dos nossos cidadãos, especialmente nas nossas águas subterrâneas", afirmou.

Já do lado belga, a ministra da aliança liberal de centro-direita "Mouvement réformateur" (MR), garante que Dieschbourg está a levar a cabo uma "campanha de desinformação", já que a Bélgica ainda está à procura de locais para armazenar os seus resíduos nucleares e não tomou uma decisão sobre as necessidades geológicas do depósito previsto.

Segundo a edição alemã do Luxembourg Wort, Marie-Christine Marghem descreve o assunto como "um grave incidente diplomático". "O ataque unilateral da ministra luxemburguesa através dos meios de comunicação social é tanto mais irritante quanto a parte luxemburguesa ainda não ter abordado o decisor belga responsável nesta matéria", declarou Marghem, segundo o mesmo jornal. "Mostrar simplesmente um mapa em que são mostrados os locais supostamente planeados e depois falar de uma possível contaminação das águas subterrâneas só pode realmente ser descrito como uma campanha de desinformação prejudicial", disse Marghem à imprensa belga.

A ministra do Ambiente belga acrescentou ainda que a consulta dos cidadãos sobre o repositório "respeita as regras nacionais e europeias em todos os aspetos". Ao contrário da apresentação de Dieschbourg, foi apenas o primeiro passo de um procedimento mais longo durante o qual o público foi questionado de cada vez, assegurou. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas