Escolha as suas informações

Grão-Duque Henri pode abdicar por causa de relatório polémico
Luxemburgo 17.01.2020 Do nosso arquivo online

Grão-Duque Henri pode abdicar por causa de relatório polémico

Grão-Duque Henri pode abdicar por causa de relatório polémico

Luxemburgo 17.01.2020 Do nosso arquivo online

Grão-Duque Henri pode abdicar por causa de relatório polémico

Documento sobre auditoria à Casa Real revela que ninguém “tem controlo” sobre a Grã-Duquesa, avança o Lëtzebuerger Land, que cita fontes do palácio sobre a hipótese da abdicação.

Jeannot Waringo foi encarregue pelo Primeiro-ministro Xavier Bettel, em agosto passado, de realizar uma auditoria às finanças e à gestão de pessoal da Casa Real. O relatório está concluído e dentro de semanas estará na secretária de Xavier Bettel.

Um documento polémico cuja divulgação pode provocar uma crise profunda na monarquia luxemburguesa, revela o Lëtzebuerger Land que hoje é citado pela imprensa do Grão-Ducado.

O Land adianta que o Grão-Duque Henri coloca mesmo a hipótese de “abdicar” quando o documento for entregue a Bettel, segundo contaram fontes do palácio.  O seu filho herdeiro, o Grão-Duque Guilherme e a sua mulher, Stéphanie, estão já preparados para assumir as responsabilidades, indica o Land segundo a RTL. 

Até ao momento não houve qualquer reação ou comentário por parte da Casa Real do Luxemburgo a esta notícia do Land.

Liberdade total da Grã-Duquesa

Segundo o Lëtzebuerger Land, citado pela RTL, o grande problema é a Grã-Duquesa do Luxemburgo que tem total liberdade para fazer o que bem entende na Casa Real.

“Ninguém tem controlo sobre a Grã-Duquesa Maria Teresa, bem o marechal, nem o Grão-Duque, nem o pessoal” revela o Land, citado pelo Wort Francês.  

E acrescenta: “Existe apenas uma pessoa que ousa confrontar a Grã-Duquesa” e essa pessoa é “Xavier Bettel”.

Quando Bettel foi eleito primeiro-ministro e decidiu que não iria ter reuniões com Maria Teresa para discutir a atualidade política, um hábito que a Grã-Duquesa ganhara com o anterior líder do governo, Jean-Claude Juncker. Esta decisão até “fez tremer as paredes do palácio” declarou o Lëtzebuerger Land.

Muitas demissões 

Há uns meses o site reporter.lu já tinha revelado que desde 2015, mais de 30 funcionários da Casa Real se tinham demitido, decisões que estariam diretamente ou indiretamente ligadas à personalidade difícil da Grã-Duquesa, recorda o Wort francês.

 A Casa Real é diretamente financiada pelo Ministério do Estado e em novembro passado, ficou decidido diminuir em meio milhão de euros o orçamento destinado aos gastos da família real. Em 2020, a Casa Real recebe 10,6 milhões de euros.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A grã-duquesa Maria Teresa estará enfurecida com o despedimento de uma funcionária da Corte Grã-Ducal, que deveria ser condecorada no âmbito da Festa Nacional luxemburguesa. A trabalhadora externa acabou por perder o emprego depois de os serviços competentes terem descoberto que, afinal, o seu registo criminal não estava “limpo”.
Die Großherzogin kann ihrem Mann aus familiären Gründen nicht zur Seite stehen.