Escolha as suas informações

Grão-Duque Henri. Os seus 20 anos de reinado com os portugueses no coração
Luxemburgo 26 5 min. 06.10.2020 Do nosso arquivo online

Grão-Duque Henri. Os seus 20 anos de reinado com os portugueses no coração

Grão-Duque Henri. Os seus 20 anos de reinado com os portugueses no coração

Luxemburgo 26 5 min. 06.10.2020 Do nosso arquivo online

Grão-Duque Henri. Os seus 20 anos de reinado com os portugueses no coração

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Faz hoje duas décadas que Henri se tornou soberano do Grão-Ducado. As celebrações online, a sua ligação à comunidade lusa e gosto especial do Grão-Duque pelas "sardinhas" e da Grão-Duquesa pelos "pasteis de bacalhau".

Uma data que deveria ser celebrada na rua, em conjunto com os residentes do Luxemburgo, mas que a epidemia da covid-19 obrigou a ser à porta fechada. Mas não totalmente, porque ,durante o dia, os 20 anos de reinado serão comemorados online.

“Devido às medidas e restrições no contexto da covid-19, não está prevista qualquer celebração do 20º aniversário da ascensão ao trono de S.R.H. o Grão-Duque”, como referiu ao Contacto o gabinete de imprensa da Corte Grão-Ducal lançando de seguida o convite para “seguir as nossas redes sociais durante este dia especial e nos próximos dias”.

Desde 7 de outubro de 2000 até agora que o reinado do Grão-Duque tem sido vivido com especial apreço pelos portugueses radicados no Luxemburgo. Pela importância da comunidade portuguesa no Grão-Ducado e também, pelo sangue português que corre nas veias do soberano.

“Tenho bastante orgulho no meu sangue português, penso que isso traz algum calor à nossa vida familiar”, declarou o Grão-Duque Henri ao Contacto em fevereiro deste ano, na visita à exposição 'Portugal e Luxemburgo – Países de Esperança em Tempos Difíceis', na Abadia de Neimenster. Na altura, o soberano evocou a sua bisavó Maria Ana de Bragança, Grã-duquesa do Luxemburgo entre 1905 e 1912 e regente do país entre 1908 e 1912. Do lado paterno, também Maria Antónia de Bragança foi sua bisavó, ambas filhas do rei D. Miguel I de Portugal. Do lado materno o sangue português foi herdado da sua trisavó, Maria José de Bragança, pretendente ao estatuto de infanta de Portugal e Duquesa da Baviera por casamento.

O "calor especial" dos portugueses

O sucessor do Grão-Duque Jean, sempre conviveu com portugueses radicados no seu país. E a estes já teceu inúmeros elogios.

A presença dos portugueses no Luxemburgo “é uma bênção para a nossa economia, que necessita da sua contribuição essencial para continuar a crescer. Mas é também, e acima de tudo, um enriquecimento social e cultural”, declarou o soberano luxemburguês no seu discurso aquando da visita de Estado do Presidente Marcelo Rebelo de Sousa ao Luxemburgo, a 23 de maio de 2017.

“Os portugueses dão-nos um calor e um fervor muito necessários. Nas noites de grandes jogos de futebol, e ainda mais por ocasião de grandes vitórias, o Luxemburgo vibra com as cores vermelho e verde”, assumiu o Grão-Duque Henri no mesmo discurso.

Foto: Sibila Lind

O fotógrafo português do Grão-Duque

O português Manuel Dias recorda-se bem da visita de Marcelo Rebelo de Sousa ao Luxemburgo. Este português, hoje com 73 anos, foi durante mais de 20 anos um dos fotógrafos escolhidos pelo casal real para o acompanhar em eventos e visitas ao estrangeiro, como fotógrafo oficial. Manuel Dias ficou famoso pelas fotografias que fez da família Grão-Ducal desde os tempos do Grão-Duque Jean até há poucos anos, com o Grão-Duque Henri.

Fotos de Manuel Dias

“Quando o presidente Marcelo de Sousa veio cá ao Luxemburgo, estava a acompanhar a visita junto com outros fotógrafos e o senhor Grão-Duque Henri chamou-me para me apresentar pessoalmente ao Presidente português. O mesmo aconteceu durante a visita oficial do presidente Jorge Sampaio, em setembro de 2004. O sr. Grão-Duque Henri fez questão de me apresentar ao presidente português”, declara orgulhoso ao Contacto Manuel Dias.

Hoje este português está reformado, mas recorda “com saudade e nostalgia” os anos em que acompanhou a família Grão-Ducal. Algumas imagens da sua inestimável coleção de fotografias estão até reunidas num livro sobre as três gerações da família real, do Grão-Duque Jean, Grão-Duque Henri e até do Grão-Duque herdeiro Guilherme.

Pelo casal real Manuel Dias tem “grande estima” e diz que sempre foi tratado com muita consideração. “Mr. Dias “ou “Mr. Manuel” como é chamado pelos Grão-Duques foi mesmo condecorado com a Ordem de Mérito pelo atual soberano, em 2003. “Lembro-me bem do dia da coroação do Grão-Duque Henri estava lá como fotógrafo, foi uma cerimónia bonita”, vinca.

Hoje, 20 anos passados sobre este importante dia Manuel Dias envia “os parabéns” ao Grão-Duque Henri e à Grã-Duquesa Maria Teresa desejando “muita saúde” ao casal.

Um convidado especial da C.A.S.A

A última vez que viu o Chefe de Estado do Luxemburgo foi precisamente entre portugueses, na celebração do 40º aniversário do Centro de Apoio Social e Associativo (C.A.S.A) no dia 25 de setembro.

Apesar da agenda reduzida de visitas devido à epidemia, o Grão-Duque Henri não quis deixar de estar presente nas celebrações desta associação portuguesa, tendo sido o convidado de honra da cerimónia. Esta foi aliás a mais recente deslocação do soberano a um evento fora do Palácio Real.

O Grão-Duque Henri “é um amigo do C.A.S.A” afirma por seu turno José Trindade o presidente deste centro associativo. A ligação da família Grão-Ducal com a associação vem dos tempos do Grão-Duque Jean, em que Trindade e o já falecido soberano trabalharam sempre juntos no apoio aos portugueses do Luxemburgo, nos tempos difíceis e nos bons tempos.

“Para mim o Grão-Duque Henri é um amigo, com o devido respeito e com ele também temos trabalhado em prol da integração da comunidade portuguesa no país, mantendo sempre um diálogo aberto na procura das soluções mais adequadas para os residentes no Luxemburgo”, vinca este dirigente associativo.

Todos estes longos anos de laços estreitos com a comunidade lusa tornaram o casal real um apreciador da gastronomia lusitana. E se o Grão-duque Henri gosta em geral dos pratos típicos portugueses, com destaque para “as sardinhas e o leitão”, como revela José Trindade, a Grão-Duquesa Maria Teresa é fã “dos pastéis de bacalhau”, conta Manuel Dias.

“Sem os portugueses, a prosperidade que o Luxemburgo vive hoje não teria sido possível”, garantiu o Grão-Duque Henri ao Contacto em fevereiro deste ano. Cerca de um mês depois a epidemia da covid-19 chegava ao Grão-Ducado. Por causa da crise sanitária as celebrações dos 20 anos de reinado do Grão-Duque Henri chegam aos habitantes do Luxemburgo pelas redes sociais da Corte Grão-Ducal.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas