Escolha as suas informações

Grão-Duque: "Acima de tudo, não baixemos a cabeça"
Luxemburgo 2 min. 25.12.2020 Do nosso arquivo online

Grão-Duque: "Acima de tudo, não baixemos a cabeça"

Grão-Duque: "Acima de tudo, não baixemos a cabeça"

Foto: Palácio grã-ducal.
Luxemburgo 2 min. 25.12.2020 Do nosso arquivo online

Grão-Duque: "Acima de tudo, não baixemos a cabeça"

Redação
Redação
O monarca tem confiança no esforço dos luxemburgueses para ultrapassar a hora difíl da pandemia, mas alertou, no seu discurso de Natal, para a necessidade deste combate ser travado a um nível europeu e global ultrapassando as fronteiras dos países.

O Grão-Duque Henri fez um discurso encorajador na apresentação dos seus votos de Natal aos luxemburgueses. O monarca pediu paciência a todos que  esperam por dias melhores. 

Em 1942, nos tempos tenebroso da ocupação nazi, a Grã-Duquesa Charlotte fez um apelo: "Kommt mir loossen de Kapp an dëse schwéieren Zäiten net hänken"! (Acima de tudo, não baixemos a cabeça nestes tempos difíceis!). Foi com estas mesmas palavras que o soberano do Grão-Ducado terminou o seu discurso de Natal de 24 de dezembro de 2020. 

Depois de um ano marcado pela pandemia, o soberano quis dar alento e agradecer aqueles que estão na linha da frente no combate à covid-19. Duas vezes nos últimos meses, o Grão-Duque já o tinha feito. E voltou a endereçar uma série de agradecimentos. Tanto aos professores ("que tiveram de se adaptar para poderem exercer a sua profissão"), como aos médicos, enfermeiros e prestadores de cuidados ("estão a fazer um óptimo trabalho") e a todo o pessoal essencial para o bom funcionamento da sociedade.

 O Grão-Duque também expressou a sua "sincera" gratidão a todos os trabalhadores transfronteriços de língua francesa e alemã pelo seu "empenho exemplar". Com esta mensagem: "Sem vocês, não conseguiriamos". Durante este ano marcado por um período de crise (sem precedentes desde a Segunda Guerra Mundial), o papel do Governo foi elogiado pelo monarca. 

Apesar de todos os esforços, a crise da covid-19 vai deixar as suas marcas, até em países com boas condições de resistir, como o Luxemburgo, também por isso, o Grão-Duque acredita que é mais do que nunca "essencial que mobilizemos os nossos esforços no seio da União Europeia (...) As respostas à maioria das questões não podem ser encontradas exclusivamente a nível nacional e o nacionalismo cego não oferece quaisquer soluções para os actuais desafios. 

Em breve possamos ver o futuro com confiança

 A título pessoal, o Grão-Duque recordou a "enorme alegria" do nascimento do príncipe Charles a 10 de maio. "Desejo ao pequeno Charles, aos seus pais - o príncipe Guilherme e a princesa Stephanie - e a todos nós, que em breve possamos ver o futuro de novo com confiança". 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas