Escolha as suas informações

Governo confirma retoma do ensino fundamental a 25 de maio
Luxemburgo 3 min. 05.05.2020

Governo confirma retoma do ensino fundamental a 25 de maio

Governo confirma retoma do ensino fundamental a 25 de maio

Foto: SIP/JULIEN WARNAND
Luxemburgo 3 min. 05.05.2020

Governo confirma retoma do ensino fundamental a 25 de maio

Manuela PEREIRA
Manuela PEREIRA
O ministro da Educação, Claude Meisch, mantém a reabertura das aulas do ensino fundamental a 25 de maio, apesar da oposição de muitos pais. Os pais só poderão ficar com os filhos em casa em três casos excecionais.

 O ensino fundamental vai mesmo retomar a 25 de maio, apesar da oposição de milhares de pais que assinaram uma petição pública para reivindicar o fim deste ano letivo e o regresso às aulas presenciais apenas em setembro.

O ensino fundamental (pré-escolar e primária) vai retomar “porque os alunos também precisam do contacto social que é necessário para o seu desenvolvimento”, disse esta tarde o ministro da Educação, Claude Meisch.

As aulas presenciais vão retomar, mas devido à pandemia não será um regresso normal. Haverá, tal como no ensino secundário, divisão das turmas em dois grupos. 

O primeiro grupo (A) terá aulas presenciais, entre as 8h00 e as 13h00. O segundo grupo (B) estudará a matéria, baseada num plano de trabalho decidido pelos professores, em casa ou em estruturas de acolhimento extracurricular, entre as 13h e as 18h00. A decisão caberá aos pais dos alunos. Apenas as aulas presenciais da parte da manhã (A) serão obrigatórias. Quer isto dizer que apenas “25% das aulas serão obrigatórias”, disse ainda o ministro da Educação.“O estudo facultativo (B) não custará nada aos pais”, garantiu Claude Meisch, que adiantou ainda que “a partir de 25 de maio, as licenças por razões familiares só serão atribuídas em três casos específicos. O primeiro é se as crianças fizerem parte do grupo de risco à covid-19. Caso os pais não obtenham vaga numa estrutura de acolhimento extracurricular, um dos encarregados de educação também terá direito à licença. E finalmente será dada a escolha aos pais de crianças entre os zero e os três anos de idade de enviar, ou não, os filhos para a creche. Caso os pais não optem pela creche também terão direito à dispensa de trabalho, através da licença por razões familiares”.

O ministro da Educação assegurou ainda que “vai haver férias de Pentecostes e que as estruturas de acolhimento estarão disponíveis para receber as crianças durante esse período de férias escolares”. A partir desta quarta-feira, dia 6 de maio, os encarregados de educação terão de preencher um formulário para reservar acolhimento extracurricular (B) das crianças. 

O ministro da Educação considera que foi correto "ter fechado as escolas, porque os alunos e estudantes tinham que ser protegidos". Este é o "momento de reabrir as escolas, passo a passo", sublinhou o ministro. "Compreendo as angústias dos pais mas é necessária uma compreensão para que as condições sejam respeitadas", acrescentou. 

Desde a Páscoa, estamos a trabalhar para que "as escolas reabram nas melhores condições. Fazemos tudo para que as crianças e os professores mantenham uma boa saúde", sublinhou o ministro.  Em geral os alunos"estão contentes de regressar às escolas"

A reabertura das escolas do ensino fundamental, creches e as chamadas 'maisons relais' está marcada para o dia 25 de maio. Uma retoma envolta em polémica depois de milhares de pessoas terem assinado uma petição pública que defende que as escolas não reabrissem antes de setembro.


Covid-19. As novas regras das escolas no regresso às aulas desta segunda-feira
Este segunda-feira, os alunos dos anos finais voltam às aulas. Conheça as medidas de prevenção adotadas e as obrigações dos alunos. Quarta-feira a petição contra este regresso em maio vai ser debatida no parlamento.

Ainda antes de as crianças do ensino fundamental voltarem à escola, está previsto o regresso dos restantes alunos dos liceus já na próxima segunda-feira, dia 11 de maio. A reabertura gradual das escolas arrancou a 4 de maio, com os alunos dos últimos anos do ensino secundário a voltarem às salas de aula. Segundo dados do Ministério da Educação, mais de 96% dos jovens esperados estiveram presentes.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas