Escolha as suas informações

Futuro dos cultos religiosos é anunciado na segunda-feira
Luxemburgo 21.05.2020

Futuro dos cultos religiosos é anunciado na segunda-feira

Futuro dos cultos religiosos é anunciado na segunda-feira

Foto: Agência Ecclesia
Luxemburgo 21.05.2020

Futuro dos cultos religiosos é anunciado na segunda-feira

Patrick JACQUEMOT
Patrick JACQUEMOT
Será que igrejas, sinagogas, templos e mesquitas vão reabrir em breve? O Primeiro-Ministro Xavier Bettel vai responder na próxima semana, a 25 de maio.

Ascensão, Pentecostes, Eid-el-Fitr, Chavouot. No final de maio, o calendário dos feriados religiosos está muito preenchido. Contudo, os representantes dos diferentes cultos no Luxemburgo ainda não sabem se vão poder celebrar estes importantes momentos abrindo os locais de oração aos crentes. 

Na sexta-feira de manhã, o Primeiro-Ministro Xavier Bettel terá uma reunião com as diferentes comunidades para discutir um possível recomeço das celebrações. Mas só na segunda-feira é que o Conselho do BCE tomará a sua decisão.

Uma vez que nada será decidido antes de 25 de Maio, a comunidade muçulmana fica privada das celebrações que assinalam o fim do Ramadão 2020. Uma coincidência do calendário que não põe em causa o calendário do governo, justificado de novo pelo Primeiro-Ministro, na quarta-feira, em conferência de imprensa: "É de fato a saúde e a segurança que estava em jogo quando tomámos a decisão de encerrar os locais de culto". 

Até o Governo ter analisado os números do contágio na segunda-feira, a regra será a mesma para todos, leigos e crentes: "Se dissermos que não há reunião, não há contacto, isso aplica-se a todos". 

Sem interferir nas práticas das várias religiões, o Governo pediu aos vários representantes das religiões organizadas que apresentassem planos de organização para o bom desenrolar das celebrações. 

Mas é difícil imaginar que o Governo, com a força das medidas apresentadas, não possa continuar a limitar a liberdade religiosa. Resta saber quando poderá ocorrer um "regresso à normalidade". 

Artigo publicado originalmente na edição francesa do Luxemburger Wort . Tradução de Ana Patrícia Cardoso.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.