Escolha as suas informações

Fundação Cancro quer aumento do preço do tabaco em 10%
Luxemburgo 19.06.2019 Do nosso arquivo online

Fundação Cancro quer aumento do preço do tabaco em 10%

Fundação Cancro quer aumento do preço do tabaco em 10%

Getty Images/iStockphoto
Luxemburgo 19.06.2019 Do nosso arquivo online

Fundação Cancro quer aumento do preço do tabaco em 10%

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Três mil. Este é, em média, o número de cancros diagnosticados todos os anos no Luxemburgo.

O diagnóstico do cancro pode ser, em muitos casos, a chave para a cura. Detetá-lo numa fase inicial aumenta as hipóteses de o erradicar.

Um estilo de vida saudável – exercício físico e alimentação variada e equilibrada – reduz o risco de cancro. E, não fumar atenua substancialmente esse risco.

O tabaco está na origem de um terço dos casos de cancro, daí a Fundação Cancro reivindicar, há largos anos, um aumento do preço do tabaco no Grão-Ducado. Para a presidente da fundação, a medida mais eficaz para lutar contra o tabagismo, sobretudo nos mais jovens, passa por uma subida substancial do preço. Lucienne Thommes disse à Rádio Latina que o aumento devia ser de pelo menos 10%.

Facto é que comprar um maço de tabaco no Luxemburgo fica mais barato do que em França. E, as contas são fáceis de fazer, uma vez que um maço de tabaco custa em média entre quatro e cinco euros, dependendo da marca, quando em França o preço sobe para oito euros. De maneira geral, o tabaco é mais barato no Luxemburgo do que nos três países vizinhos (França, Bélgica e Alemanha).

Apesar das campanhas anti-tabaco, o número de fumadores não baixa há seis anos. No Grão-Ducado, 21% da população é fumadora. Nem mesmo as imagens chocantes alusivas aos malefícios dos cigarros que ilustram os maços de tabaco desde 2017 surtiram o efeito esperado. Até porque os jovens continuam a ser a população que mais fuma – 27% dos 25-34 anos fumam.



Notícias relacionadas