Escolha as suas informações

Fronteira com a Alemanha continua sem controlos
Luxemburgo 15.07.2020 Do nosso arquivo online

Fronteira com a Alemanha continua sem controlos

Fronteira com a Alemanha continua sem controlos

Foto: Pierre Matgé
Luxemburgo 15.07.2020 Do nosso arquivo online

Fronteira com a Alemanha continua sem controlos

Jean-Michel HENNEBERT
Jean-Michel HENNEBERT
Todos os cidadãos que viajem do Luxemburgo para a Alemanha devem fazer quarentena, anunciou ontem a Alemanha. Mas por enquanto a liberdade de circulação mantém-se. Este anúncio ocorre três dias depois que as autoridades belgas colocaram o país na zona laranja.

O instituto alemão Robert-Koch colocou o Luxemburgo na lista de zonas de "risco" devido ao aumento de casos de covid-19 no país. No entanto, os governos do Sarre e da Renânia-Palatinado permanecem contra a introdução de controlos nas fronteiras com o Luxemburgo.


Alemanha coloca Luxemburgo na lista de países de "risco"
Depois da Bélgica, a Alemanha também decidiu sinalizar o Grão-Ducado por causa do crescente número de infeções.

O Grão-Ducado excedeu o limite de 50 novas infeções por 100.000 habitantes em sete dias, um padrão usado internacionalmente para avaliar os riscos de contaminação. Como consequência, o Ministério das Relações Exteriores da Alemanha emitiu um aviso de viagem para o Luxemburgo, realçando os riscos à saúde. 

No domingo passado, a Bélgica colocou o Grão-Ducado na lista de países da zona laranja, sinónimo de "zona de perigo médio". Contudo, as fronteiras entre os dois países permanecem abertas. O mesmo acontece para a Alemanha. O Ministro Federal do Interior alemão, Horst Seehofer (CSU), afirmou que se opunha a novos controlos de fronteira no caso de um aumento no número de novas infecções nos países vizinhos.

Nos últimos dias outros países colocaram os Luxembugo na "lista negra" nos últimos dias, entre eles a Dinamarca, Noruega e Finlândia.


Covid-19. Hotéis luxemburgueses prejudicados com recente aumento de infeções
Sector do turismo é um dos mais afetados com a crise provocada pela covid-19.

Para a indústria turística luxemburguesa, este anúncio constitui um duro golpe, já que segundo a Statec, 15% dos 1,1 milhão de visitantes que vieram para o Grão-Ducado, em 2018, eram oriundos da Alemanha. São o segundo país de origem, atrás dos belgas (20%) e holandeses (17%), mas à frente dos franceses (13%).

Edição de Ana Patrícia Cardoso 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas