Escolha as suas informações

Frank Engel admite possível afastamento do CSV mas nega qualquer crime
Luxemburgo 19.03.2021

Frank Engel admite possível afastamento do CSV mas nega qualquer crime

Politik, Interview Frank Engel, Foto: Lex Kleren/Luxemburger Wort

Frank Engel admite possível afastamento do CSV mas nega qualquer crime

Politik, Interview Frank Engel, Foto: Lex Kleren/Luxemburger Wort
Lex Kleren
Luxemburgo 19.03.2021

Frank Engel admite possível afastamento do CSV mas nega qualquer crime

Redação
Redação
Em conferência de imprensa esta sexta-feira, o presidente do CSV deu, pela primeira vez, indícios de um possível afastamento.

Frank Engel reafirmou o que já tinha dito antes: "não tenho de pedir desculpa, pelo menos por nada criminoso", afirmou em conferência de imprensa esta sexta-feira, para prestar esclarecimentos sobre a denúncia feita ao Ministério Público sobre salários indevidos que terá recebido parte do CSV-Frëndskrees, uma associação ligada ao partido do qual é líder desde 2019. 

Confiante de que não terá agido contra a lei, o presidente do partido diz "ter confiança que a justiça fará o seu trabalho". 

Engel disse aos jornalistas estar "farto da discussão" e das acusações que considera serem "humilhantes e dolorosas". O objetivo do líder seria acima de tudo evitar "uma luta na lama", segundo palavras do próprio. Isto porque a denúncia terá partido de colegas no partido. Este terá sido aconselhado a apresentar queixa contra quem fez a denúncia mas terá recusado seguir essa via. 

No entanto, Engel deixou uma porta aberta para a sua saída do partido,  afirmando que "se a união do CSV só pode ser garantida com a minha saída, então que seja". No entanto, nada ainda está decidido. O Comitê Nacional do CSV reúne-se esta sexta para discutir o futuro de Engel e do partido. 

Abuso de bens sociais

Segundo a queixa apresentada, Frank Engel recebeu um salário de seis mil euros mensais entre junho e dezembro. Em contrapartida, o político e ex-deputado europeu tinha como missão procurar membros para a associação, criando posteriormente uma fundação. 

De acordo com a queixa, tal não foi feito por Frank Engel que terá então recebido um salário para cumprir tarefas que nunca chegou a realizar. O autor da denúncia ao Ministério Público acusa assim o político  de "abuso de bens sociais".  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

"Após a pandemia, o país poderá precisar de uma nova tendência política", afirma o antigo líder do CSV, numa entrevista à RTL no dia a seguir ao anúncio de Claude Wiseler como candidato oficial ao cargo de presidente do partido.