Escolha as suas informações

Formação profissional. Sindicato denuncia discriminação na avaliação

Formação profissional. Sindicato denuncia discriminação na avaliação

Foto: Steve Eastwood
Luxemburgo 16.05.2019

Formação profissional. Sindicato denuncia discriminação na avaliação

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
Ao contrário dos liceus, os alunos do setor de comércio da formação profissional não têm direito à repescagem, se faltarem ao exame por motivo de doença.

A poucos dias dos exames do fim de ano nas escolas luxemburguesas, o sindicato de educação e ciência (SEW) da OGBL denuncia dois pesos e duas medidas nas avaliações finais dos alunos, isto entre a secção de economia dos liceus e a secção comercial do ensino de formação profissional.

Ouvido pela Rádio Latina, o sindicalista Jules Barthel dá o exemplo da repescagem que é permitida aos alunos de economia do ensino clássico e geral, caso faltem ao exame por motivo de doença, mas não aos alunos de comércio da formação profissional. O acesso a um segundo exame para melhorar a nota é outro exemplo de discriminação, alega o sindicalista.

Estas e outras diferenças de tratamento são da responsabilidade dos professores e representantes das câmaras de Comércio e dos Assalariados, que ao longo dos últimos anos gerem a avaliação e o conteúdo curricular destes alunos, alega o sindicato.

Mas Jules Barthel diz que só foi este ano que o sindicato deu conta das diferentes mudanças que "discriminam" os alunos de comércio da formação profissional.

Jules Barthel pede a intervenção do Ministério da Educação e exige que os alunos afetados possam ter também a possibilidade de compensar as más notas.

Além da diferença de tratamento nos procedimentos, o sindicato de educação da OGBL defende ainda uma maior equidade na avaliação e nas provas orais entre os alunos dos liceus e os alunos das formações profissionais


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.