Escolha as suas informações

Festa rija na geminação de Bettendorf e Vila Pouca de Aguiar, as duas terras de José Vaz do Rio
A placa que assinala a geminação de Bettendorf com Vila Pouca de Aguiar.

Festa rija na geminação de Bettendorf e Vila Pouca de Aguiar, as duas terras de José Vaz do Rio

Foto: John Lamberty
A placa que assinala a geminação de Bettendorf com Vila Pouca de Aguiar.
Luxemburgo 13 06.06.2019

Festa rija na geminação de Bettendorf e Vila Pouca de Aguiar, as duas terras de José Vaz do Rio

José Vaz do Rio venceu as últimas eleições na localidade luxemburguesa, mas trocou o cargo pelo de vereador, por não falar bem luxemburguês. Um ano e meio depois, conseguiu concretizar um sonho: unir as duas localidades a que se sente ligado.

A festa durou três dias, e havia poucas pessoas mais felizes que José Vaz do Rio. O imigrante português, natural de Raíz do Monte, a oito quilómetros de Vila Pouca de Aguiar, é vereador da pequena localidade de Bettendorf há pouco mais de ano e meio, e já conseguiu concretizar um dos seus projetos. "Antes de ser eleito, [a geminação] já estava em estudo, e como estou na comuna, conseguimos este sonho", disse ao Contacto.  Ver as suas "duas terras" unidas é motivo de "grande orgulho".

De Vila Pouca de Aguiar veio uma comitiva de 48 pessoas: o presidente da Câmara e vereadores, cinco bombeiros, 21 alunos do secundário e três professores. O acordo entre as duas localidades prevê um intercâmbio escolar e uma colaboração entre os soldados da paz, que já teve os primeiros frutos. "O senhor José vaz do Rio fez uma ponte com os bombeiros locais e já recebemos equipamento daqui", explicou o presidente da Câmara de Vila Pouca, António Alberto Machado.


Aldeia do “burgomestre português” vai geminar-se com a terra dele
É um casamento com muitos convidados. De Vila Pouca de Aguiar veio uma comitiva de 50 pessoas para assinar a geminação com Bettendorf. A pequena localidade ficou famosa quando José Vaz do Rio venceu as últimas eleições, um feito inédito no Luxemburgo. Mas o imigrante abdicou do cargo por não falar bem luxemburguês e ficou como vereador.

Na quarta-feira, o autarca transmontano e a burgomestre de Bettendorf, Pascale Hansen, descerraram uma placa com a data da assinatura do acordo de geminação. As bandeiras dos dois países assinalaram o momento, e a fanfarra de Bettendorf e Gilsdorf tocou o hino português. Um momento que terminou com festa popular. 

Em Bettendorf vivem 2.800 habitantes. Destes, cerca de 900 são portugueses, e há muitos que vêm de Vila Pouca de Aguiar, disse ao Contacto Vaz do Rio, que chegou ao Luxemburgo em 1979. Pelo menos “80 casais, fora os filhos”, são originários do concelho transmontano. 


Notícias relacionadas

Crónica de uma renúncia anunciada
Em Bettendorf, a alegria com a eleição de José Vaz do Rio deu lugar à desilusão. Há quem perceba as razões do português, mas também há quem esteja arrependido de ter votado nele. E há até quem desconfie que foi pressionado para ceder o lugar – uma teoria da conspiração que o português refuta com veemência. O Contacto esteve em Bettendorf e conta-lhe como foi.
O primeiro candidato com passaporte português a vencer eleições no Luxemburgo abdicou do cargo de burgomestre.