Escolha as suas informações

Festa Nacional. Uma festa muito maior que toda a cerimónia
Luxemburgo 22 3 min. 17.06.2019

Festa Nacional. Uma festa muito maior que toda a cerimónia

Festa Nacional. Uma festa muito maior que toda a cerimónia

Foto: Feller Tania
Luxemburgo 22 3 min. 17.06.2019

Festa Nacional. Uma festa muito maior que toda a cerimónia

Vanessa CASTANHEIRA
Vanessa CASTANHEIRA
A Festa Nacional é já no próximo domingo, dia 23, mas as comemorações arrancam 24 horas antes. São dois dias de celebração separados pela noite mais longa do Luxemburgo. Este ano com as obras do elétrico, o desfile militar vai ser em Kirchberg.

A capital prepara-se para um fim de semana de Festa Nacional, festa essa que era inicialmente comemorada no dia do aniversário do soberano. A verdade é que o Grão-Duque Henri nasceu a 16 de abril, o Grão-Duque Jean a 5 de janeiro e a Grã-Duquesa Charlotte a 23 do mesmo mês.

A mudança deu-se em 1961 quando a soberana mudou a data da Festa Nacional para 23 de junho alegando melhores condições metereológicas. A tradição mudou e hoje a Festa Nacional não se resume ao aniversário do soberano, mas à festa em si, com música e todo o tipo de animação.

Um luxemburguês disse ao Contacto que não se revê na Festa Nacional por não sentir “qualquer afeição pela família grã-ducal e pela soberania por herança”. “A festa devia estar relacionada com uma data histórica para o país e não em função de alguém sem mérito. Por isso não faz sentido participar nas cerimónias oficiais”, afirmou. Questionado sobre a sua participiação na animação noturna, o luxemburguês diz que só sai “se estiver bom tempo”.

Há nove anos no Luxemburgo, Sónia Garcia assume que gosta da festa, mas nunca assistiu a nenhuma cerimónia oficial. “A festa noturna é típica da vida de uma grande cidade, só que tem fogo de artifício, que parece ser o ponto central dos dois dias e é o que desperta maior interesse”, explicou. Sónia Garcia gosta sobretudo de ver as pessoas na rua e "dos vários palcos que nos fazem lembrar as noites de verão”. Ainda não sabe o que vai fazer na noite de dia 22, mas “certamente será com amigos, já o dia 23 é um domingo como os outros”, diz.

Presença portuguesa

A Festa Nacional não se faz só de luxemburgueses e pelo 20º ano consecutivo, a comunidade portuguesa está representada no desfile das tochas com cinco associações presididas pelo Centro de Apoio Social e Associativo (CASA).

Este ano “o fado de Coimbra e de Lisboa vão ser interpretados junto à tribuna de Honra durante cinco minutos”, garantiu ao Contacto o fundador do CASA, José Trindade. A decoração do carro alegórico do movimento associativo português também vai fazer alusão ao fado e, segundo o responsável, “esta participação no desfile é sempre feita com enorme prazer tanto pela participação em si como pela representação que significa”. Será ainda entregue ao Grão-Duque a medalha das comemorações do Dia de Portugal.

Dez palcos e dezenas de concertos

Milhares de pessoas deslocam-se à capital para assistir ao tradicional fogo de artifício e assistir aos concertos. De recordar que os palcos mais tardios são na Knuedler, places des Bains, place de Strasbourg e place de Auguste Engel, no Grund. Ao todo são dez palcos espalhados pela zona antiga da cidade, que apostam na música e bandas "made in Luxembourg". Também os estabelecimentos noturnos preparam as suas programações de "nuit blanche" com música e cocktails e, claro está, reservas extras de cerveja.

Para os amantes de fogo de artifício, a place de la Constituition tem a melhor vista para o foguetório. Devido à parada militar, a pont Grande-Duchesse Charlotte vai estar encerrada ao trânsito no dia 23 das 10h às 14h. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas