Escolha as suas informações

Explosão/Waldhof. Investigação prossegue e vai demorar
Luxemburgo 14.03.2019

Explosão/Waldhof. Investigação prossegue e vai demorar

Explosão/Waldhof. Investigação prossegue e vai demorar

Foto: Guy Jallay
Luxemburgo 14.03.2019

Explosão/Waldhof. Investigação prossegue e vai demorar

O acidente aconteceu há precisamente um mês.

Um mês depois da explosão no paiol de Waldhof, que provocou dois mortos, ainda estão por esclarecer os contornos do acidente. As autoridades dizem que as conclusões do inquérito vão demorar a chegar.

O porta-voz do Ministério Público, Henri Eippers, disse à Rádio Latina que, para já, não há novos elementos sobre o caso. “A investigação prossegue e vai demorar algum tempo”, adiantou o responsável, acrescentando que “os relatórios dos especialistas ainda não chegaram às mãos do juiz de instrução”.

A explosão no depósito de munições de Waldhof aconteceu a 14 de fevereiro, quando vários militares da brigada de minas e armadilhas do exército preparavam uma granada da segunda guerra mundial que iria ser transportada para a Bélgica. Por razões ainda por apurar, o engenho de 48 kg explodiu, roubando a vida a dois soldados e provocando ferimentos noutros dois. Um deles ficou gravemente ferido e só saiu do coma duas semanas após o acidente.

Entretanto soube-se também que no local estava um quinto militar que escapou ileso, já que se encontrava no exterior do paiol no momento da explosão.

O último acidente mortal no paiol de Waldhof remonta a 5 de dezembro de 2012, quando um soldado de 22 anos foi mortalmente atingido a tiro por um outro militar, que acabou por ser condenado a dois anos de prisão (um com pena suspensa) por homicídio involuntário. O tribunal considerou que as regras básicas de segurança não foram respeitadas.

Diana Alves e Manuela Pereira


Notícias relacionadas