Escolha as suas informações

Exército do Luxemburgo está com falta de pessoal
Luxemburgo 24.08.2022
Defesa

Exército do Luxemburgo está com falta de pessoal

Defesa

Exército do Luxemburgo está com falta de pessoal

Foto: Shutterstock
Luxemburgo 24.08.2022
Defesa

Exército do Luxemburgo está com falta de pessoal

Steve REMESCH
Steve REMESCH
As forças armadas do Grão-Ducado precisam de contratar mais 120 soldados nos próximos seis anos, a par do recrutamento habitual.

Além dos 120 soldados, é precisa mais uma dúzia de voluntários a cada ano, o que constitui um desafio para as futuras intervenções do exército luxemburguês, segundo disse o ministro da Defesa, François Bausch (déi Greng), em resposta a uma questão parlamentar do deputado Marc Georgen (Partido Pirata).

Contudo, a maior parte dos postos de trabalho para unidades operacionais dirigidas a soldados profissionais já foi preenchida. As vagas existentes dizem respeito ao pessoal em geral e ao futuro batalhão binacional, que o Luxemburgo irá estabelecer em conjunto com a Bélgica em 2028. 

Assim, o exército pretende recrutar 20 soldados anualmente para que, daqui a seis anos, tenha mais 120 pessoas ao seu serviço.


O ministro da Defesa luxemburguês, François Bausch.
"Portugueses são uma parte insubstituível das tropas luxemburguesas", diz ministro
Ministro da Defesa luxemburguês convidou a homóloga portuguesa a visitar o Grão-Ducado.

Mais contratações em postos de trabalho técnicos

De acordo com Bausch, há uma falta de cerca de quatro soldados em cada etapa de recrutamento, ou seja, ficam a faltar 12 voluntários por ano. Se esta tendência não se alterar, a escassez de soldados poderá aumentar ainda mais, aponta o governante, destacando o impacto dos futuros compromissos do exército.

Para estes serem levados em conta, o novo Ato das Forças Armadas, que está atualmente no processo de tramitação nos tribunais, irá permitir aos voluntários do exército estenderem o seu tempo de serviço de três para quatro anos.

Além disso, serão contratadas mais pessoas para ocuparem postos de trabalho técnicos no exército, como assistentes de mecânico, artilheiros, médicos, camionistas. Desta forma, as forças armadas continuarão a ter o pessoal necessário no futuro.

(Este artigo foi originalmente publicado na edição alemã do Luxemburger Wort.)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas