Escolha as suas informações

Estudo: No Luxemburgo, uma pessoa morre vítima de traumatismo a cada 34 horas
Luxemburgo 05.08.2015

Estudo: No Luxemburgo, uma pessoa morre vítima de traumatismo a cada 34 horas

Estudo: No Luxemburgo, uma pessoa morre vítima de traumatismo a cada 34 horas

Foto: Pierre Matge
Luxemburgo 05.08.2015

Estudo: No Luxemburgo, uma pessoa morre vítima de traumatismo a cada 34 horas

Os traumatismos são a quarta causa de morte no Grão-Ducado e a primeira no caso de crianças e jovens, segundo o estudo Retrace, do Instituto de Saúde do Luxemburgo. Todos os anos morrem em média 261 pessoas devido a lesões infligidas de forma deliberada ou causadas por acidente, o que corresponde a uma morte a cada 34 horas, aponta o estudo, que analisou dados de 2002 a 2012.

Os traumatismos são a quarta causa de morte no Grão-Ducado depois das doenças cardiovasculares, tumores e doenças respiratórias, e a primeira no caso de crianças e jovens, indica o estudo Retrace, do Instituto de Saúde do Luxemburgo.

Todos os anos morrem em média 261 pessoas devido a lesões infligidas de forma deliberada ou causadas por acidente, o que corresponde a uma morte a cada 34 horas, aponta o estudo divulgado pelo Ministério da Saúde luxemburguês, que analisou dados de 2002 a 2012.

A maioria das mortes na sequência de traumatismos devem-se a suicídios, quedas e acidentes na via pública, conclui o estudo. Juntas, estas três causas representam 60% das mortes provocadas por lesões entre 2002 et 2012.

Contas feitas, 7% das mortes registadas no Luxemburgo devem-se a traumatismos, o que coloca o país em 14° lugar entre os países da União Europeia, a meio de uma  tabela liderada por Espanha e Holanda.

Com 40 mortes por 100 mil habitantes, o Grão-Ducado tem piores resultados que países como Portugal (33 mortes), Grécia (29), Itália (28), Holanda (26) e Espanha (25), os dois Estados-membros onde os traumatismos provocam menos óbitos.

"Se o Luxemburgo tivesse a mesma taxa que a Holanda ou Espanha, poderíamos evitar um terço das mortes anuais por traumatismo, o equivalente a 100 casos por ano", sublinha o estudo. 

Os dados são particularmente preocupantes no caso de menores entre um e 14 anos. Nesta faixa etária, os traumatismos são a primeira causa de morte, representando quase metade (44%) de todos os óbitos. Um valor muito superior à média europeia, que ronda os 28%, aponta o estudo.


Notícias relacionadas