Escolha as suas informações

Estados Unidos e Luxemburgo reforçam cooperação espacial
Wilbur Ross, secretário norte-americano do Comércio, e Étienne Schneider, vice primeiro-ministro, ministro da Economia e da Saúde.

Estados Unidos e Luxemburgo reforçam cooperação espacial

Foto: Gerry Huberty
Wilbur Ross, secretário norte-americano do Comércio, e Étienne Schneider, vice primeiro-ministro, ministro da Economia e da Saúde.
Luxemburgo 3 min. 10.05.2019

Estados Unidos e Luxemburgo reforçam cooperação espacial

Manuela PEREIRA
O Grão-Ducado lançou-se em 2016 à conquista do Espaço, através da criação de uma agência espacial luxemburguesa, com vista à exploração de matérias naturais, sobretudo asteróides.

O Luxemburgo e os Estados Unidos assinaram no passado dia 10 de maio na capital do Grão-Ducado, um acordo de reforço da cooperação espacial entre os dois países. O documento foi assinado pelo vice primeiro-ministro Étienne Schneider, e pelo secretário norte-americano do Comércio, Wilbur Ross.

O principal objetivo do protocolo é desenvolver e aprofundar a cooperação entre os dois países no setor aeroespacial. Os dois governos decidiram utilizar este instrumento, para "estabelecer um diálogo mais formal e favorecer o crescimento contínuo das indústrias espaciais nos dois países, alargando, também, a cooperação aos institutos de investigação e às empresas privadas dos dois países", segundo o comunicado do governo luxemburguês. 

Os dois países têm a mesma ambição: fazer do Espaço um negócio rentável, em particular a exploração de minérios. Nesse sentido, ambos adotaram um enquadramento jurídico para a exploração e utilização de recursos espaciais. O Grão-Ducado foi, aliás, o primeiro país da Europa a adotar uma legislação específica, desde agosto de 2017. O documento atribui às empresas privadas ou às parcerias público-privadas do Luxemburgo, a propriedade exclusiva das matérias encontradas no Espaço, para depois as comercializar.

Luxemburgo e o Espaço

Em setembro do ano passado o país lançou oficialmente uma agência dedicada à exploração do Espaço: a Agência Espacial do Luxemburgo. O objetivo ambicioso da nova agência é o de impulsionar o desenvolvimento e a exploração económica da indústria espacial no país. 

Já em 2016, tinha criado o SpaceRessources.lu, um programa de exploração de matérias-primas no Espaço, sobretudo asteróides, com o objetivo de diversificar a economia nacional, que assenta principalmente na praça financeira. 

Segundo um estudo recente da Agência Espacial do Luxemburgo, este mercado poderá gerar 170 mil milhões de euros nos próximos 30 anos.

Ao mesmo tempo, a Universidade do Luxemburgo vai criar um novo mestrado em engenharia aeroespacial, já no próximo ano letivo, intitulado "Interdisciplinary Space Master". 

De acordo com as contas do governo anunciadas a propósito da cooperação Luxemburgo-EUA, o setor aeroespacial representa 2% do Produto Interno Bruto (PIB) e emprega entre 800 e 850 pessoas no Grão-Ducado.

Ross acusado de desvio de fundos

O secretário norte-americano do Comércio e multimilionário Wilbur Ross faz parte da administração Trump desde a sua eleição para a Casa Branca, em 2016, e o Luxemburgo não é um país desconhecido para o político.

Chegou a integrar o conselho de administração da ArcelorMittal e fez parte do grupo Internacional Automotive Components (IAC), entidades com  sede no Luxemburgo .Segundo a Forbes, a fortuna do americano está avaliada em cerca de 700 milhões de dólares. 

Uma investigação da revista norte-americana Forbes revelou que Ross "desviou ou roubou diretamente" os seus sócios empresariais em 120 milhões de dólares. A publicação, de agosto de 2018, baseou-se em 21 testemunhos sobretudo antigos sócios do secretário norte-americano e concluiu que "se metade das acusações forem legítimas Wilbur poderá entrar no círculo dos maiores golpistas da história dos Estados Unidos".

O político negou sempre as acusações, afirmando que a suspeita "não tem fundamento". 

Na receção ao Luxemburgo na semana passada, o homem forte do comércio norte-americano foi acolhido com toda da pompa e circunstância pelo governo. Após a cerimónia de assinatura do acordo – que sucedeu a um encontro à porta fechada com Étienne Schneider –, o secretário do Comércio almoçou no castelo de Bourglinster com altos dirigentes dos setores industrial e financeiro aos quais se juntou o ministro das Finanças, Pierre Gramegna.

Teve igualmente reuniões com o primeiro-ministro, Xavier Bettel, e com o ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean Asselborn.


Notícias relacionadas

Luxemburgo já está no Espaço
O Luxemburgo inaugura hoje uma nova etapa na história do país: uma agência dedicada à exploração do Espaço. O projeto tem como objetivo apoiar o desenvolvimento económico da indústria espacial.
Parlamento: Lei do Espaço será votada a 13 de julho
O Conselho de Estado não emitiu qualquer parecer contra o projeto-lei sobre a exploração de recursos espaciais, a chamada "lei do Espaço", que deverá assim ser votada na Câmara dos Deputados a 13 de julho próximo.
(FILES)This NASA file image obtained January 31, 2012 and taken by NASA's Near Earth Asteroid Rendezvous mission in 2000, shows a close-up view of Eros, an asteroid with an orbit that takes it somewhat close to Earth. A newly unveiled company with some high-profile backers — including filmmaker James Cameron and Google co-founder Larry Page — has announced  April, 24, 2012 plans to mine near-Earth asteroids for resources such as precious metals and water.
Planetary Resources, Inc. intends to sell these materials, generating a healthy profit for itself. But it also aims to advance humanity's exploration and exploitation of space, with resource extraction serving as an anchor industry that helps our species spread throughout the solar system.      AFP PHOTO/NASA/HANDOUT/               == RESTRICTED TO EDITORIAL USE - MANDATORY CREDIT " AFP PHOTO / - NO MARKETING NO ADVERTISING CAMPAIGNS - DISTRIBUTED AS A SERVICE TO CLIENTS ==