Escolha as suas informações

Espanha: Ministro da Cultura demite-se

Espanha: Ministro da Cultura demite-se

Foto: AFP
Luxemburgo 13.06.2018

Espanha: Ministro da Cultura demite-se

Fraude fiscal que remonta ao período entre 2006 e 2008 levou Màxim Huerta a afastar-se do cargo em que fora empossado na passada quinta-feira.

Màxim Huerta já não é ministro da Cultura e Desportos em Espanha. O ex-jornalista e escritor apresentou a demissão de um cargo em que fora empossado na última quinta-feira depois de ser conhecido que defraudara o Fisco espanhol em 256.778 mil euros.

Huerta afirma-se inocente e diz que se afasta para não prejudicar o novo projeto do Executivo liderado por Pedro Sánchez. "Vivemos numa sociedade afogada pelo ruído, pela ofensa, na qual as explicações não têm lugar. Não interessa que não tenha comtido qualquer fraude fiscal, importa o bombardeamento contra mim", disse, citado pela imprensa espanhola. "Procuram minar o projeto de regeneração e transparência de Sánchez, mas não vou permiti-lo, porque vivem-se novos tempos. Os inocentes preferem sair antes de que qualquer sombre de suspeita caia sobre eles", acrescentou.

O diário El País recorda que, em novembro de 2014, Huerta fora condenado a pagar multa no valor de 365.939 euros porque, em função da sua participação no programa televisivo de Ana Rosa, usou uma empresa intermediária com o intuito de pagar menos impostos entre 2006 e 2008.

Huerta recorreu, mas viu o recurso rejeitado e foi condenado por usar a sociedade ALMAXIMO, Professionales de la Imagen" com o tal objetivo de pagar menos impostos. Huerta nega: "Paguei duas vezes esta multa - primeiro, ao Fisco e, agora, perante a sociedade porque a inocência não adianta nada perante esta corja", referiu. O ex-ministro alega que fez o mesmo que outros "profissionais liberais, criativos, atores, arquitetos", antes da mudança da lei, em 2012, por iniciativa do ministro Cristóbal Montoro.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.