Escolha as suas informações

Erro de laboratório alemão na origem da informação sobre alegada variante luxemburguesa
Luxemburgo 09.02.2021 Do nosso arquivo online

Erro de laboratório alemão na origem da informação sobre alegada variante luxemburguesa

Erro de laboratório alemão na origem da informação sobre alegada variante luxemburguesa

AFP
Luxemburgo 09.02.2021 Do nosso arquivo online

Erro de laboratório alemão na origem da informação sobre alegada variante luxemburguesa

Diana ALVES
Diana ALVES
Um erro de um laboratório alemão esteve na origem da informação que na semana passada circulou na imprensa germânica, sobre a existência de uma alegada variante norueguesa-luxemburguesa do coronavírus. Uma informação desmentida na sexta-feira à Rádio Latina pelo Ministério da Saúde.

Novas explicações prestadas pela ministra da Saúde, e divulgadas esta terça-feira indicam de onde veio essa informação. Em resposta a uma questão parlamentar do deputado Sven Clément (Partido Pirata), Paulette Lenert referiu que o erro partiu de um laboratório alemão que referenciou uma das novas variantes do vírus, atribuindo a sua origem geográfica ao Grão-Ducado e à Noruega. 

Lenert esclareceu que as designações das novas estirpes são compostas por letras e números. Neste caso, tratava-se da variante B.1.1.60, mas o laboratório referenciou erradamente a nova variante como B.1.16. Assim, um zero a menos esteve na origem da informação errada, levando alguns media alemães a noticiarem a existência de uma mutação do vírus com origem no Luxemburgo e no país escandinavo.


Covid-19. Variante inglesa pode disparar aumento de infeções no Luxemburgo
As previsões dos especialistas apontam para um novo crescimento preocupante de casos ligados à nova estirpe mais contagiosa. Se os gestos barreira não forem cumpridos o País pode viver uma nova vaga com pico em maio.

Há atualmente centenas de variantes do vírus original em circulação no mundo, embora as identificadas no Reino Unido, Brasil e África do Sul sejam, neste momento, as mais significativas.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas