Escolha as suas informações

Equipa luxemburguesa vai disputar o Portugal Rugby Youth Festival em Lisboa
Luxemburgo 3 min. 10.04.2019

Equipa luxemburguesa vai disputar o Portugal Rugby Youth Festival em Lisboa

Pedro Meco, com a bola na mão, é um dos jogadores do CSCE que vai competir em Lisboa no Portugal Rugby Youth Festival.

Equipa luxemburguesa vai disputar o Portugal Rugby Youth Festival em Lisboa

Pedro Meco, com a bola na mão, é um dos jogadores do CSCE que vai competir em Lisboa no Portugal Rugby Youth Festival.
Foto: CSCE
Luxemburgo 3 min. 10.04.2019

Equipa luxemburguesa vai disputar o Portugal Rugby Youth Festival em Lisboa

Álvaro CRUZ
Álvaro CRUZ
A competição reúne, no próximo fim de semana, algumas das mais conceituadas equipas mundiais da modalidade na capital portuguesa.

O Cercle Sportif des Communautés Européennes (CSCE) Rugby Luxembourg vai disputar o Portugal Rugby Youth Festival que se realiza no próximo fim de semana, em Lisboa. O clube luxemburguês, com sede na capital, integra pela primeira vez o lote de equipas convidadas do prestigiado torneio internacional que reúne mais de duas dezenas de países, com as equipas dos escalões etários sub-13 e sub-14.

Portugueses internacionais pelo Luxemburgo

“Estou muito entusiasmado por ir a Lisboa jogar. É a primeira vez que vou participar num torneio internacional onde vão estar algumas das melhores equipas do Mundo. Penso que vai ser uma oportunidade única para os jogadores e o clube”, regozija-se Pedro Meco, de 14 anos, jogador do CSCE e internacional pelo Luxemburgo na categoria de sub-14. Meco iniciou-se na modalidade aos 6 anos, em Walferdange, e depois transferiu-se para o Cercle Sportif des Communautés Européennes, clube que considera “uma família”. Tem como ídolo Kieran Read, emblemático capitão dos ’All Blacks’, e diz que escolheu o râguebi porque aprecia jogos de contacto: “Adoro esta modalidade. O contacto físico é algo de que gosto muito. Quando vejo o nível dos jogos entre as grandes equipas, a minha motivação para me tornar cada vez melhor e brilhar a nível internacional aumenta”, conclui.

O também português Pedro Bento, outro dos internacionais pelo Grão-Ducado, igualmente na categoria de sub-14, é outro dos jogadores que se deslocam a Portugal em representação do clube da capital. Começou a jogar há três anos e vê a participação no torneio de Lisboa como “uma oportunidade para aprender com os melhores”.

“Passei por outros desportos, como o futebol, mas aqui a mentalidade é outra. Aprende-se a ser um verdadeiro jogador de equipa, com valores humanos que apenas o râguebi revela”, vinca.

Sobre o torneio em Lisboa garante: “Vai ser uma grande oportunidade para podermos avaliar o nosso nível frente a equipas mais cotadas, acabando, também, por ser um prémio justo para os jogadores, treinadores e dirigentes pelo excecional trabalho que desenvolvem em prol da modalidade no clube e no país”, remata.

O ’globetrotter’ do râguebi

Manuel Mascarenhas chegou ao CSCE em 2011 e desde então a sua dedicação ao clube tem sido total. Ao longo dos anos tem desempenhado os cargos de dirigente, treinador, tesoureiro, responsável dos equipamentos e há ainda a particularidade de ter três filhos que jogam râguebi, nos sub-12, sub-10 e sub-8 do clube.

“Em 2011 ofereci-me ao presidente para colaborar e agora é como se fosse parte da minha família. Sempre segui a modalidade em Portugal, mas no Luxemburgo a entrega tem sido muito maior num clube que adoro e que é muito familiar”, sublinha.

Sobre a participação do CSCE no Portugal Rugby Youth Festival, Mascarenhas confessa que “é um sonho que se torna realidade”. “Somos o primeiro clube luxemburguês a participar neste torneio que vai reunir equipas de todo o mundo. Austrália, Inglaterra, Irlanda, França, todos eles com grande tradição na modalidade, mas também formações de Gibraltar, do Qatar, e a nossa, de países cuja expressão no râguebi mundial é muito menor”, completa.

O dedicado dirigente português sublinha ainda o facto de o CSCE fazer parte dos clubes eleitos para a torneio, considerando que o convite acaba “por ser o reconhecimento para o trabalho que todos no clube têm feito em prol da modalidade no Grão-Ducado”. E acrescenta: “Somos adeptos e acreditamos num râguebi positivo, em movimento, com boa circulação de bola e defendemos que os jogadores devem sentir prazer em vir treinar e jogar”, explica. Sobre a participação das duas equipas do clube no torneio em Lisboa, Manuel Mascarenhas não hesita: “Tem sido uma grande excitação por parte dos miúdos. Além da inolvidável experiência desportiva e humana que os nosso jogadores vão ter, será importante poder aferir a qualidade do nosso jogo quando defrontarmos equipas de outro calibre”, diz.

“Temos cerca de 200 jogadores em atividade e equipas dos sub-6 aos sub-18. Perto de 10% são portugueses e alguns deles internacionais. Temos um grupo de treinadores voluntários e dirigentes que lutam por melhorar a qualidade do râguebi no Luxemburgo. Infelizmente, não temos campo próprio, mas vamos lutando para dar futuro a estes miúdos. Agora, vamos aproveitar o torneio em Lisboa e ganhar experiência”, conclui.

A comitiva luxemburguesa é formada por 44 jogadores e um staff de oito elementos entre treinadores e dirigentes.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

F91 Dudelange está entre os grandes da Europa e há razões para isso
Um clube luxemburguês chegar à fase de grupos da Liga Europa é um feito histórico que muito poucos acreditavam ser possível. Mas o F91 Dudelange acabou por consegui-lo e o futebol grão-ducal ganhou outra dimensão, graças a um exaustivo trabalho de muitos anos de preparação. Aqui se resumem os diferentes passos.
asd
Jovens portugueses são referências no râguebi luxemburguês
Alguns dos expoentes máximos das camadas jovens da modalidade no Luxemburgo são portugueses. Já defenderam, grande parte deles, as cores das seleções jovens luxemburguesas, mas alguns revelaram ao Contacto que ainda sonham em envergar a camisola de Portugal numa grande competição.
Manuel Grincho, à esquerda, e Tiago Monge, à direita, ambos de colete verde, são dois dos jogadores portugueses do Rugby Club Luxembourg
Basquetebol / Total League: Nelson Delgado reforma-se, regressa e arrasa
O ícone do basquetebol do Etzella decidiu regressar à competição meses após a sua anunciada despedida. Com 20 anos ao serviço do clube de Ettelbrück, o jogador de origem cabo-verdiana que já representou a selecção grã-ducal, ouviu os pedidos do presidente, treinador, amigos, colegas e dirigentes para continuar a jogar. Coroou o regresso com uma vitória, vinte pontos e uma excelente exibição no domingo, no arranque do campeonato.
Nelson Delgado regressou à competição com uma excelente exibição