Escolha as suas informações

Entrevista a Nicolas Schmit. "Aumento de 100 euros do salário mínimo é crucial"
Luxemburgo 12.10.2018

Entrevista a Nicolas Schmit. "Aumento de 100 euros do salário mínimo é crucial"

Entrevista a Nicolas Schmit. "Aumento de 100 euros do salário mínimo é crucial"

Foto: Chris Karaba
Luxemburgo 12.10.2018

Entrevista a Nicolas Schmit. "Aumento de 100 euros do salário mínimo é crucial"

O partido socialista luxemburguês (LSAP) defende um aumento do salário mínimo de 100 euros líquidos. Esta é uma das propostas explicadas por Nicolas Schmit, candidato do partido socialista luxemburguês, à Rádio Latina. Ouça a entrevista na íntegra.

O Luxemburgo tem o salário mínimo mais alto da União Europeia, tendo ultrapassado a barreira dos dois mil euros brutos por mês a 1 de agosto último. Contudo, face ao custo de vida elevado, devido aos preços da habitação que sobem em média 5% por ano, alguns partidos propõem um aumento do ordenado mínimo. É o caso do LSAP.

Em concreto, o partido socialista luxemburguês defende um aumento do salário mínimo de 100 euros líquidos. Uma ‘nota verde’ suplementar que os socialistas pretendem conseguir, em parte, graças à isenção de impostos deste rendimento, como sublinhou o ministro do Trabalho e cabeça de lista do LSAP no círculo eleitoral este, Nicolas Schmit.

Nicolas Schmit, 64 anos, é cabeça de lista do LSAP no círculo eleitoral Este. Estreou-se em funções governativas há 14 anos, enquanto ministro delegado dos Negócios Estrangeiros e da Imigração. Tutela o Ministério do Trabalho há duas legislaturas consecutivas. O LSAP entrou na corrida às eleições nacionais com o slogan “Zusummem”. Juntos. (lista n° 3).

Rádio Latina

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Ministro do Trabalho defende salário mínimo sem impostos
O Luxemburgo tem o salário mínimo mais alto da União Europeia, tendo ultrapassado a barreira dos dois mil euros por mês, ilíquidos, a 1 de agosto. Contudo, face ao custo de vida elevado, muito devido aos preços da habitação, que sobem em média 5% por ano, alguns partidos propõem agora o aumento do ordenado mínimo. É o caso do LSAP.