Escolha as suas informações

Entre Alzingen e Frisange: Cruzamento “Schlammesté” vai mesmo ter semáforos
Luxemburgo 28.05.2015 Do nosso arquivo online

Entre Alzingen e Frisange: Cruzamento “Schlammesté” vai mesmo ter semáforos

Os semáforos já começaram a ser instalados no sinistro cruzamento

Entre Alzingen e Frisange: Cruzamento “Schlammesté” vai mesmo ter semáforos

Os semáforos já começaram a ser instalados no sinistro cruzamento
Foto: Maurice Fick
Luxemburgo 28.05.2015 Do nosso arquivo online

Entre Alzingen e Frisange: Cruzamento “Schlammesté” vai mesmo ter semáforos

Começaram esta semana a ser instalados semáforos para regular o trânsito no cruzamento “Schlammesté”, entre Alzingen e Frisange, palco de vários acidentes de viação nos últimos meses.

Começaram esta semana a ser instalados semáforos para regular o trânsito no cruzamento “Schlammesté”, entre Alzingen e Frisange, palco de vários acidentes de viação nos últimos meses.

Os trabalhos vão decorrer, pelo menos, até ao final da semana. Para já, os semáforos são temporários mas a Administração das Estradas e Pontes está a preparar as estruturas para a instalação sinais permanentes.

Para além dos semáforos, a zona daquele cruzamento, para onde converge o trânsito da estrada nacional N3 (Hesperange-Frisange) e da CR132 (Weiler-la-Tour), terá velocidade limitada a 70 Km/h. Será igualmente instalado um radar fixo.

Estas medidas foram recentemente defendidas pelo ministro do Desenvolvimento e das Infra-estruturas, François Bausch, com o objectivo de colocar um travão à sinistralidade rodoviária naquele local.

Contudo, a comuna de Frisange opõe-se à instalação de semáforos. Na semana passada, aquele município aprovou uma moção contra a colocação dos sinais luminosos verticais, alegando que os mesmos vão causar “mais congestionamento ao trânsito” na N3 e na CR132. Em contrapartida, a autarquia local defende a construção de uma rotunda.

O cruzamento “Schlammesté” tem sido palco de vários acidentes rodoviários nos últimos meses. Os mais recentes aconteceram no passado dia 30 de Março, quando uma colisão entre um autocarro e um camião provocou ferimentos em 15 pessoas. Dois dias depois, no mesmo local, outra colisão entre um autocarro e um automóvel resultou em danos materiais.

Paulo Dâmaso


Notícias relacionadas