Escolha as suas informações

Ensino fundamental. Ministério encomendou 60.000 máscaras FFP2 para professores
Luxemburgo 04.03.2021

Ensino fundamental. Ministério encomendou 60.000 máscaras FFP2 para professores

Ensino fundamental. Ministério encomendou 60.000 máscaras FFP2 para professores

Foto: Sebastian Gollnow/dpa
Luxemburgo 04.03.2021

Ensino fundamental. Ministério encomendou 60.000 máscaras FFP2 para professores

Diana ALVES
Diana ALVES
No que toca ao ensino secundário, as encomendas estão a cargo dos próprios liceus, diz Claude Meisch.

O Ministério da Educação encomendou 60.000 máscaras FFP2 para os professores do ensino fundamental. O dado surge na resposta a uma questão parlamentar dos deputados Martine Hansen e Marc Spautz, do Partido Cristão-Social (CSV). Mas no que toca ao ensino secundário, o ministro da Educação, Claude Meisch, esclareceu que as encomendas estão a cargo dos próprios liceus.

Segundo Meisch, "é uma vontade do ministério colocar este tipo de máscara à disposição dos docentes que fizeram um pedido nesse sentido e que, assim, se sentem mais protegidos". Entre docentes e professores de substituição, o ensino fundamental público luxemburguês totaliza cerca de 6.400 profissionais. 

No que toca às recomendações sanitárias atuais, Meisch reiterou que os ministérios da Educação e da Saúde trabalham juntos nesta matéria, tendo decidido não emitir qualquer recomendação quanto ao uso obrigatório das máscaras FFP2 pelos professores. Consideradas mais eficazes na filtração de partículas, as máscaras FFP2 tinham sido exigidas pelos professores do Luxemburgo. Embora tenha acedido à exigência, o Ministério da Educação foi alvo de críticas por parte do Sindicato Nacional dos Professores, que o acusou de não encomendar máscaras suficientes para todos os docentes.


Doze alunos do ensino fundamental recusaram usar máscara durante as aulas
Ministério da Educação desvalorizou os números.

Esta semana o maior partido da oposição criticou a gestão do Executivo da crise sanitária das escolas, considerando que deviam ser adotadas mais medidas restritivas nestes estabelecimentos.     

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas