Escolha as suas informações

Empregada ao serviço da grã-duquesa ameaça escrever livro sobre família real
Luxemburgo 02.07.2015 Do nosso arquivo online

Empregada ao serviço da grã-duquesa ameaça escrever livro sobre família real

Empregada ao serviço da grã-duquesa ameaça escrever livro sobre família real

Foto: Gerry Huberty
Luxemburgo 02.07.2015 Do nosso arquivo online

Empregada ao serviço da grã-duquesa ameaça escrever livro sobre família real

Uma empregada ao serviço da grã-duquesa desde 2001 ameaça escrever um livro sobre a família real, depois de ter sido despedida, alegadamente de forma ilegal.

Uma empregada ao serviço da grã-duquesa desde 2001 ameaça escrever um livro sobre a família real, depois de ter sido despedida, alegadamente de forma ilegal.

O caso é contado hoje pelo Le Quotidien. O diário luxemburguês de língua francesa conta que a empregada, com o estatuto de camareira ("femme de chambre", em francês), foi despedida este mês pelo Palácio, acusada de insubordinação e comportamento abusivo em relação aos colegas de trabalho. 

A empregada, que contesta as acusações, decidiu processar a família grã-ducal por despedimento ilegal, pedindo 350 mil euros de indemnização por danos materiais e morais.

Ao Quotidien, a empregada, costureira de formação, disse que foi vítima de assédio laboral durante os anos em que esteve ao serviço da grã-duquesa. Contratada para fazer arranjos das roupas de Maria Teresa, a empregada teria sido despromovida e forçada a trabalhar na lavandaria do Palácio, entre 2008 e 2009. Nessa altura, segundo o Quotidien, a camareira queixou-se à associação Mobbing, que dá apoio a vítimas de assédio laboral.

Apesar de estar obrigada ao segredo profissional, a empregada, que está a cinco anos da idade da reforma, disse ao Quotidien que vai escrever um livro sobre a vida no Palácio.