Escolha as suas informações

Em Wiltz: Piqueniques e famílias reunidas em peregrinação a Nossa Senhora de Fátima
Luxemburgo 18 3 min. 05.05.2016

Em Wiltz: Piqueniques e famílias reunidas em peregrinação a Nossa Senhora de Fátima

Em Wiltz: Piqueniques e famílias reunidas em peregrinação a Nossa Senhora de Fátima

Foto: Chris Karaba
Luxemburgo 18 3 min. 05.05.2016

Em Wiltz: Piqueniques e famílias reunidas em peregrinação a Nossa Senhora de Fátima

Milhares de peregrinos invadem a esta hora a pacata comuna de Wiltz, no Norte do Luxemburgo, por ocasião da 49ª peregrinação anual ao santuário de Fátima. São esperadas entre 10 e 20 mil pessoas.

Milhares de peregrinos invadem a esta hora a pacata comuna de Wiltz, no Norte do Luxemburgo, por ocasião da 49ª peregrinação anual ao santuário de Fátima. São esperadas entre 10 e 20 mil pessoas.

As bermas das estradas até Wiltz estão transformadas em enormes parques de campismo e de piqueniques, como manda a tradição em dia de peregrinação a Wiltz. Os acampamentos começam a cerca de 15 quilómetros daquela cidade nortenha.

Muitas centenas de fiéis e devotos, sobretudo portugueses e cabo-verdianos, começam a peregrinação na véspera.

Frangos assados, bifanas, entremeadas, sardinhas, caldo verde e até leitões inteiros foram os principais pratos da ementa.

“É já uma tradição. Chegámos ontem (quarta-feira) à tarde e ficamos até sábado. É um ritual que já fazemos há quinze anos” contou ao CONTACTO Sandra Matos, que lidera um grupo de 34 pessoas oriundas de Differdange.

As tendas, os assadores, a fogueira e a bandeira portuguesa não mentem. “Hoje, Wiltz é nossa. Mas o mais importante é o convívio com a família e os amigos” refere Sandra Matos. “Temos as nossas tendas de quatro estrelas, música, comer e beber” acrescenta. 

A hora da refeição decorre num clima de grande confraternização com famílias, oriundas de todo o país, lado a lado a partilharem os respectivos petiscos. 

“Somos todos portugueses. Há que rezar mas de barriga cheia” grita Daniel Duarte, um dos elementos do grupo.

“Aqui é que há água benta. O santuário é lá em cima na colina mas aqui é que está a capela. Não falta vinho, cerveja e garagalhadas” salienta Manuel Dias, que juntamente com a esposa Sandra Matos, organiza o grupo onde a boa-disposição é uma constante.

A parte religiosa fica para o período vespertino. “Mas vamos todos à procissão” avisa Marlene Mansilhas, outra das peregrinas.

Fé e devoção unem comunidade e ajudam refugiados

As comunidades portuguesa, cabo-verdiana e luxemburguesa unem-se nesta Quinta-Feira de Ascensão em torno da fé e devoção a Nossa Senhora de Fátima.

“Venho fazer uma oferenda a Nossa Senhora e pedir as melhoras da minha madrinha, que passa por um problema de saúde”, revelou Christelle Nunes, uma portuguesa de Esch-sur-Alzette.

“Venho participar na procissão por fé e devoção. Sou devota de Nossa Senhora de Fátima e é a ela que dirijo as minhas preces” disse a cabo-verdiana Anabela Silva, de Bonnevoie.

Tal como em anos anteriores, a peregrinação vai recolher donativos para ajudar projectos de solidariedade. As verbas conseguidas em 2016 destinam-se à Cáritas do Luxemburgo e ao seu programa de assistência aos cerca de 600 refugiados acolhidos pela organização.

Ao chegar à Igreja Paroquial de Niederwiltz, os peregrinos deparam-se com um espaço de apoio aos refugiados sírios.

Um stand que recolhe donativos e alerta para o drama que se vive na Síria. “Nós somos cristãos sírios e precisamos que a nossa voz seja ouvida com a vossa ajuda. Há milhares de pessoas a morrerem diariamente na Síria devido a esta guerra. Precisamos que vocês sejam a nossa voz na Europa, para alertar consciências e pôr fim à guerra” disse Wajd Asmar, uma jovem síria de 17 anos, natural de Aleppo, ao CONTACTO.

Para além da parte religiosa e solidária, a peregrinação a Wiltz é igualmente boa para o negócio. Com as condições climatéricas a ajudar e temperaturas a rondar os 18 graus, os comerciantes não têm mãos a medir.

“É um bom dia para o negócio com cafés e restaurantes cheios. Hoje todos ganhamos” refere José Costa, que contava “vender mais de 300 frangos de churrasco” ao longo do dia.

A missa no Santuário de Fátima em Wiltz, no sítio “Op Bäessent”, é presidida pelo arcebispo Jean-Claude Hollerich, na presença do bispo do Porto, Dom António Francisco dos Santos.

Nesta ocasião, e tal como o CONTACTO avançou esta manhã, o arcebispo do Luxemburgo deverá anunciar publicamente a vinda da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima a Wiltz em 2017, por ocasião da 50ª peregrinação anual ao santuário luxemburguês e do centenário das Aparições de Nossa Senhora em Fátima, que aconteceram em 1917.

Paulo Dâmaso

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Vídeo: Portugueses já vão a caminho de Fátima em Wiltz
Não é Fátima, em Portugal, mas também há peregrinos portugueses nas estradas luxemburguesas para chegar ao santuário de Fátima, em Wiltz. Um dia antes da romaria, já há muitos a caminho. Este ano a peregrinação vai contar com a visita de Marcelo Rebelo de Sousa, mas há imigrantes que fazem a rota a pé há duas décadas.
Maria Celeste Cavaleiro: «Le pèlerinage, c'est dur mais quand on arrive à l'église de Niederwiltz on est tellement soulagé d'un seul coup qu'on serait prêt à refaire la route immédiatement».
EDITORIAL: Todos os caminhos vão dar a Wiltz
Mercê de uma vontade conjunta entre os chefes de Estado de Portugal e do Luxemburgo, na quinta-feira todos os caminhos vão dar a Wiltz, uma localidade que é um dos símbolos do que une luxemburgueses e portugueses.