Escolha as suas informações

Em direto. "Não queremos deixar cair ninguém"
Luxemburgo 1 4 min. 20.03.2020

Em direto. "Não queremos deixar cair ninguém"

Em direto. "Não queremos deixar cair ninguém"

Foto: Gerry Huberty
Luxemburgo 1 4 min. 20.03.2020

Em direto. "Não queremos deixar cair ninguém"

Redação
Redação
O primeiro-ministro, Xavier Bettel a a ministra da Saúde, Paulette Lenert, falam aos jornalistas sobre o Covid - 19.

"Temos cinco mortos confirmados, acabam de me dizer", revelou o primeiro-ministro do Luxemburgo na conferência de imprensa no final do conselho de ministros na sexta-feira. "A situação é séria", vinca o chefe do governo do Grão-Ducado. 

O Estado tem de continuar a funcionar, disse o primeiro-ministro . E apelou: "A população tem de ficar em casa, embora haja exceções, como ir às compras, aos médicos, para comprar medicamentos, levar os animais a passear".

"Temos de ir sozinhos comprar os alimentos. Podemos sair e passear, mas apenas para apanhar ar fresco. Mas temos de sair sozinhos ou com quem vivemos, e se encontrarmos gente, temos de respeitar a regra de distância de dois metros", declarou.  

Quais as regras no trabalho do governo para evitar o contágio? "Eu próprio trabalho todos os dias no meu gabinete, as portas estão sempre abertas para evitar a contaminação, e as reuniões são por videoconferência", revela Xavier Bettel.  "Se ficar em quarentena, se o meu teste der positivo sigo as regras", garante.

O site de vendas para pessoas vulneráveis "já foi utilizado por 350 pessoas via internet e cerca de 80 via telefone".

O fundamental é ficar em casa, voltou a frisar.

Ontem  foram feitos 400 controlos pela polícia e não houve notificações a pessoas. Só um café e uma loja foram multados, indicou Xavier Bettel.

Os ortopedistas e as óticas podem "continuar a atender casos urgentes", diz o primeiro-ministro.

Os pequenos comerciantes vão ter apoios, para as pequenas e médias empresas estamos a criar uma série de medidas para os apoiar, "não queremos deixar cair ninguém", vinca Xavier Bettel.

Setor das limpezas

"O setor das limpezas pode continuar a funcionar" porque "a limpeza nesta altura é muito importante", sublinhou. Mas "é preciso não esquecer que há pessoas vulneráveis que não têm condições de o fazer".

Como exceção, os camiões vão poder circular ao domingo porque é fundamental abastecer os mercados e lojas, frisa Bettel.

Transfronteiriços

Já foram disponibilizados cerca de dois mil lugares aos transfronteiriços para ficarem no Luxemburgo, 150 deles já aproveitaram a oferta. "E estamos em contacto permanente com os países vizinhos", revelou. "Da parte da Alemanha estamos em negociações para chegar a acordo também para a possibilidade do teletrabalho" sem prejuizo dos regimes fiscais dos trabalhadores. A exemplo dos acordos estabelecidos com a França e a Bélgica.

"Disponibilizamos 50 funcionários para apoiarem o controle das fronteiras e pedido dos países vizinhos", acrescentou Bettel.

Testes de diagnóstico

Ontem, diz Xavier Bettel, foram feitos 750 testes para diagnosticar o Covid-19. "Devemos ser o país com maior número de testes por habitante. Por isso parece que temos mais casos que os outros", acrescentou.  "As pessoas que tenham sintomas devem fazer o teste para evitar a multiplicação do vírus",  mas é preciso ter uma prescrição médica. E os laboratórios em função da procura dão os resultados. "Há também teste nos drive in", revelou. Atualmente demora um dia a ter o resultado, "mas dependendo do volume de testes efetuados pode demorar mais", reconhece. Mas o governo está a "trabalhar com laboratórios privados para fazer o maior número de testes possíveis e dar os resultados também o mais rapidamente possível". "Fazemos encomendas de material todos os dias", quer seja de testes para Covid-19 e outros materiais".

Outra boa notícia. "Vamos instalar um outro hospital provisório" para aumentar o número de camas, esta é uma ação preventiva, se a situação se agravar nos próximos dias".  "Temos a estrutura hospitalar no CHL para aumentar o número de camas, caso a situação se agrave, o que irá ser apresentado brevemente", sublinhou.  

Internet

Por causa do teletrabalho o recurso à internet está a aumentar. "A rede 4G está sobrecarregada e as pessoas devem utilizar sempre que possível o wi-fi", recomendou.

Desemprego parcial

Há empresas que fecharam e outras vão fechar. O desemprego em tempo parcial ficará a funcionar, "mas não sei durante quanto tempo", assume o primeiro-ministro.

Contratos de arrendamento

Se terminarem pede-se aos proprietários que tenham compreensão e sejam flexíveis. "Há comércios e pessoas que ficaram sem rendimentos e que não vão ter possibilidade de pagar o arrendamento. Não quer dizer que toda a gente vá fazê-lo, mas pede-se aos proprietários que sejma flexíveis", sublinhou.

Quanto às mudanças de casa podem ser feitas se não houver outra solução e as pessoas não tiverem onde ficar

Sem abrigo

 Questionado sobre a situação dos sem abrigo afirmou que "é uma situação triste. "Estamos a trabalhar com a Cruz Vermelha para os acompanhar e assegurar que possam recorrer às estruturas de acolhimento existentes".



Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

 



Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas