Escolha as suas informações

Em Agosto: Polícia grã-ducal recebeu três queixas de burla em casas para arrendar
Luxemburgo 3 min. 26.08.2015

Em Agosto: Polícia grã-ducal recebeu três queixas de burla em casas para arrendar

Em Agosto: Polícia grã-ducal recebeu três queixas de burla em casas para arrendar

As fotos do apartamento, alegadamente no Luxemburgo, são de uma casa em Paris
Luxemburgo 3 min. 26.08.2015

Em Agosto: Polícia grã-ducal recebeu três queixas de burla em casas para arrendar

As fotos mostravam um apartamento moderno e bem decorado, a preços convidativos, uma raridade no Luxemburgo. O problema é que se tratava de um apartamento em Paris. O caso foi denunciado esta semana pela edição inglesa do Wort, e pode ser apenas a ponta do icebergue. A Polícia grã-ducal recebeu três queixas deste tipo só no mês de Agosto, disse hoje fonte da Polícia ao CONTACTO.

As fotos mostravam um apartamento moderno e bem decorado, a preços convidativos, uma raridade no Luxemburgo. O problema é que se tratava de um apartamento em Paris.

O caso foi denunciado esta semana pela edição inglesa do Wort, e pode ser apenas a ponta do icebergue. A Polícia grã-ducal recebeu três queixas deste tipo só no mês de Agosto, disse hoje fonte da Polícia ao CONTACTO.

No caso denunciado pelo Wort, o anúncio foi publicado no portal imobiliário trefle.com. Situado perto da fronteira com a Bélgica, o apartamento, de 77 metros quadrados, custava 670 euros, com todas as despesas incluídas - uma pechincha no Grão-Ducado.

Um interessado, que pediu o anonimato, enviou então um email a pedir mais informações. Em resposta, o falso proprietário pediu os dados pessoais do potencial inquilino, alegadamente para preparar o contrato de arrendamento. 

O falso senhorio alegou também que tinha "pressa" em arrendar o apartamento, porque não vivia no Luxemburgo. Para evitar deslocações e despesas inúteis, o burlão exigia o pagamento adiantado de três meses de renda antes da visita, através de transferência para a Western Union, um montante que seria devolvido se o contrato não fosse assinado.

O caso foi denunciado esta semana pela edição inglesa do Wort. As fotos do apartamento no Luxemburgo eram afinal de uma propriedade em Paris, no bairro de Saint-Denis, um esquema muito utilizado em fraudes pela internet, sobretudo em casas de férias.

Polícia grã-ducal recebeu três queixas no mês de Agosto

Ao CONTACTO, fonte da Polícia grã-ducal disse hoje que recebeu pelo menos três queixas deste tipo durante o mês de Agosto. O esquema é sempre o mesmo: apartamentos anunciados em sites na internet, a preços convidativos, muitas vezes com fotografias que pertencem a outras casas.

Num dos casos, tratava-se de um apartamento alegadamente situado em Diekirch, com uma renda de 500 euros por mês. O falso proprietário também pedia o pagamento de sinal adiantado, por transferência para a Western Union, disse ao CONTACTO fonte da Polícia luxemburguesa.

"Quando as pessoas vêem um apartamento por um preço alucinante para os valores do mercado, devem desconfiar", alerta a mesma fonte.

Noutro dos casos, um estrangeiro que arrendou um apartamento no Luxemburgo através de um portal na internet viu-se obrigado a ficar num hotel, porque a casa que tentou arrendar afinal não existia, explica a Polícia.

A terceira queixa foi apresentada em meados de Agosto por um residente no Luxemburgo burlado em mais de quatro mil euros, quando tentou arrendar um apartamento para as férias na Córsega, disse ainda a Polícia.

Este tipo de burla é comum em sites na internet e não se limita ao Luxemburgo. Em Portugal, pelo menos 48 pessoas foram burladas este Verão quando tentaram arrendar casas para férias através da internet, a maior parte no Algarve. Em causa estavam imóveis a preços apelativos, em portais da internet, com fotografias de outros apartamentos, segundo informações da GNR citadas pela Lusa.

Na maioria dos casos, de acordo com a GNR, "o valor depositado como sinal ronda os 200 euros, mas existem casos em que este valor chegou perto dos dois mil euros", ou em que "as vítimas pagaram a totalidade do arrendamento".

Os burlões nem sempre recorrem ao serviço de transferência de dinheiro da Western Union, mas a frequência deste tipo de fraude levou já a agência a emitir um alerta no seu portal, em 2012. 


Notícias relacionadas