Escolha as suas informações

Eleições municipais: José Vaz do Rio pode vir a ser primeiro burgomestre português no Luxemburgo
José Vaz do Rio venceu as eleições em Bettendorf.

Eleições municipais: José Vaz do Rio pode vir a ser primeiro burgomestre português no Luxemburgo

José Vaz do Rio venceu as eleições em Bettendorf.
Luxemburgo 2 min. 08.10.2017

Eleições municipais: José Vaz do Rio pode vir a ser primeiro burgomestre português no Luxemburgo

Chama-se José Vaz do Rio, tem dupla nacionalidade e pode vir a fazer história. O imigrante, há 40 anos no Luxemburgo, venceu as eleições em Bettendorf, uma localidade com menos de três mil habitantes, e pode vir a ser o primeiro burgomestre com passaporte português no Luxemburgo.

Teve 588 votos, mais vinte que o segundo mais votado, e deixou em terceiro lugar o atual burgomestre, Albert Back, com 553 votos.

José Vaz do Rio já era conselheiro municipal em Bettendorf desde 2011, altura em que ficou em quinto lugar. Agora, pode vir a ser burgomestre da pequena localidade no nordeste do país - um feito histórico para os portugueses no Luxemburgo -, mas para já é cauteloso. "Vamos ver. Ainda vamos ter uma reunião, tudo é possível. Se os outros conselheiros votarem contra...".

A localidade tem menos de três mil habitantes e não há listas partidárias, sendo as candidaturas apresentadas em nome individual. Os nove eleitos deverão ainda realizar uma reunião para formalizar as nomeações para os cargos no executivo camarário: um burgomestre, dois vereadores e seis conselheiros comunais.

O português tem 61 anos e vive há 28 em Gisldorf, que faz parte da autarquia de Bettendorf. Está reformado há quatro anos (trabalhou na fábrica da Goodyear, "a fazer pneus") e tem três filhos e quatro netos, "todos a viver no Luxemburgo". Há um ano, obteve a nacionalidade luxemburguesa, ficando com dupla nacionalidade, e fala luxemburguês. "Fui seis anos à escola, em Bettendorf, todas as segundas-feiras à noite, das sete e meia às dez. Compreendo cem por cento e falo 80% - agora vou ter de treinar", brinca.

Se for nomeado burgomestre, pode fazer história, tornando-se o primeiro autarca português eleito no Luxemburgo. "É importante para os portugueses. Os portugueses deviam participar mais e registar-se na comuna para votar", diz José Vaz do Rio. E dá um exemplo da importância de participar na política: as dificuldades para conseguir salas para o ensino de português na localidade, que funciona no regime paralelo, fora do horário escolar. "A comuna dificultou um bocado os cursos, não queriam emprestar a sala, com salas vazias", conta. O caso acabou por se resolver na sexta-feira, com a ida do responsável do Serviço de Ensino, Joaquim Prazeres, a uma reunião com a autarquia. Problemas que não se repetirão se o português estiver à frente da autarquia, garante. "É normal, é prioridade, a nossa língua", disse José Vaz do Rio ao Contacto.

Natural de Vila Pouca de Aguiar, o português com dupla nacionalidade é também presidente de dois clubes de futebol: o FC Jeunesse Gisldorf, que integra a Federação Luxemburguesa de Futebol, e o Vila Pouca de Aguiar, um clube com 30 anos. Em ambas as equipas, a maioria dos jogadores são portugueses. "É quase tudo, temos dois ou três luxemburgueses".

José Vaz do Rio diz que a mulher já estava à espera de um bom resultado nestas eleições. "Ela sempre me encorajou, disse que eu ia ficar entre os três primeiros". Acabou mesmo por ganhar.

Os portugueses que vivem no Luxemburgo há mais de cinco anos têm direito de voto, mas só se recensearam cerca de 13 mil, deixando de fora 47 mil imigrantes que cumpriam os requisitos para participar nestas eleições, segundo dados do Ministério do interior.

Paula Telo Alves 



Notícias relacionadas

Entrevista: "Se eu quisesse ser burgomestre, ninguém se punha à minha frente"
José Vaz do Rio recebe o Contacto na casa onde vive há 30 anos, em Gilsdorf, enquanto está ao telefone com a RTP. O imigrante português combina mais uma entrevista e marca a data no calendário. Por estes dias, só se fala do português que não quis ser burgomestre. Nesta conversa, em que entra também a mulher do imigrante português, Vaz do Rio explica as suas razões.
José Vaz do Rio poderia ter sido o primeiro burgomestre com passaporte português.
Crónica de uma renúncia anunciada
Em Bettendorf, a alegria com a eleição de José Vaz do Rio deu lugar à desilusão. Há quem perceba as razões do português, mas também há quem esteja arrependido de ter votado nele. E há até quem desconfie que foi pressionado para ceder o lugar – uma teoria da conspiração que o português refuta com veemência. O Contacto esteve em Bettendorf e conta-lhe como foi.
O primeiro candidato com passaporte português a vencer eleições no Luxemburgo abdicou do cargo de burgomestre.
Português ganha eleições mas abdica do cargo de burgomestre
Ainda não é desta que o Luxemburgo vai ter um burgomestre com passaporte português. José Vaz do Rio ganhou as eleições na pequena localidade de Bettendorf, um feito histórico para os portugueses no país, mas decidiu renunciar ao cargo. Em vez disso, vai ser primeiro vereador.
José Vaz do Rio foi o mais votado, mas renunciou a exercer o cargo de burgomestre.