Escolha as suas informações

Echternach – Luxemburgo, de novo, a 110 km/h?
Luxemburgo 2 min. 19.08.2019

Echternach – Luxemburgo, de novo, a 110 km/h?

Este radar, na N11, à entrada de Gonderange, foi o primeiro a ser instalado no Grão-Ducado.

Echternach – Luxemburgo, de novo, a 110 km/h?

Este radar, na N11, à entrada de Gonderange, foi o primeiro a ser instalado no Grão-Ducado.
Foto: Gerry Huberty
Luxemburgo 2 min. 19.08.2019

Echternach – Luxemburgo, de novo, a 110 km/h?

Manuela PEREIRA
Manuela PEREIRA
Uma petição popular propõe o aumento do limite de velocidade na E29, entre as cidades de Echternach e do Luxemburgo.

“A estrada é boa, tem muitas vias rápidas e o risco de acidente é reduzido”, defende Joana Mendes Martins, autora da petição, disponível no site do Parlamento desde o dia 19 de julho.

“Com o radar fixo, entre Gonderange e Waldhaff, os condutores circulam muitas vezes a 70 km/h. Uma situação que provoca engarrafamentos com frequência e que se deverá agravar com o novo radar de controlo de velocidade média”, afirma Joana Martins.

“Os transportes públicos entre Echternach e a capital limitam-se ao autocarro”. Para um trânsito sem congestionamentos, a autora da petição sugere limitar a velocidade a 110 km/h, em caso de bom tempo, e a 90 km/h, em caso de chuva, nas vias rápidas.

A petição, com o número 1328, está longe das 4.500 assinaturas necessárias para levar o tema a debate público, no Parlamento. Será retirada do site da Câmara dos Deputados (www.chd.lu) no dia 30 deste mês e tem apenas cerca de 390 assinaturas.


Mais radares no novo plano de ação de segurança rodoviária
Trinta e seis pessoas morreram em 2018 nas estradas do Luxemburgo. Este número de vítimas representou um aumento significativo de 29%, face ao ano anterior (25 mortos).

Na verdade, a N11 é uma das estradas mais faladas do país, sobretudo depois do trágico acidente que fez três mortos, entre Waldhaff e Gonderange, em 16 de setembro de 2015. Na altura, o Governo não tardou a reagir, limitando, em 5 de outubro do mesmo ano, a velocidade máxima naquele troço a 90 km/h, em vez dos 110 km/h até ali permitidos. Aliás, o primeiro radar fixo de controlo de velocidade do país a ser instalado foi naquele troço da N11, em 1 de dezembro de 2015, tendo entrado em funcionamento, juntamente com outros nove aparelhos fixos de medição de velocidade, em 16 de março de 2016.

Aquele troço da N11, entre Gonderange e Waldhaff vai voltar a fazer história no que respeita a medidas de segurança rodoviária. O primeiro radar que mede a velocidade média num determinado troço já lá foi instalado, em julho último, e “deverá estar operacional, após uma fase-teste, no final deste ano ou no início de 2020”, segundo a mais recente previsão do ministro da Mobilidade, François Bausch.


Notícias relacionadas