Escolha as suas informações

É transfronteiriço e testou positivo à covid-19? Saiba o que fazer
Luxemburgo 19.01.2022
Pandemia

É transfronteiriço e testou positivo à covid-19? Saiba o que fazer

Pandemia

É transfronteiriço e testou positivo à covid-19? Saiba o que fazer

Foto: AFP
Luxemburgo 19.01.2022
Pandemia

É transfronteiriço e testou positivo à covid-19? Saiba o que fazer

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Quem trabalha no Luxemburgo mas vive do outro lado da fronteira tem de seguir as leis do seu país de residência no caso de testar positivo à covid-19.

Quem trabalha no Luxemburgo mas vive do outro lado da fronteira tem de seguir as leis do seu país de residência no caso de testarem positivo à covid-19. Mas estes trabalhadores devem, no entanto, avisar as autoridades sanitárias luxemburguesas.

Assim, o Ministério da Saúde do Grão-Ducado pede aos trabalhadores transfronteiriços que comuniquem o resultado positivo ao serviço de rastreamento, Contact Tracing. A declaração pode ser feita através do preenchimento de um formulário disponível online ou pelo email contact-covid@ms.etat.lu.


Desde o último sábado, os trabalhadores que não tenham um certificado válido para o regime 3G do CovidCheck não podem aceder às instalações da sua empresa.
Pagar para trabalhar. O novo dilema dos não vacinados para entrar nas empresas
Desde o último sábado, os trabalhadores no Luxemburgo são obrigados a apresentar um de três certificados para aceder ao local de trabalho: vacinação completa, recuperação ou teste negativo. Quem não estiver vacinado pode gastar pelo menos 400 euros por mês.

Após essa declaração, a pessoa infetada recebe a prescrição de isolamento e pode declarar os seus contactos das últimas 48 horas. Durante o período de isolamento, o trabalhador em questão não se pode deslocar ao Luxemburgo, esclarecem ainda as autoridades.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Pela quarta vez consecutiva, as autoridades de saúde reformularam a página oficial que dá acesso ao balanço diário da covid-19. Agora, deixou de discriminar os casos identificados em residentes e em trabalhadores fronteiriços.