Dossier LuxLeaks

Um consórcio internacional de jornalistas revelou a 6 de Novembro de 2014 que o Luxemburgo terá assinado acordos fiscais secretos com 340 multinacionais. Entre as empresas está a Apple, a Amazon, a Ikea e a Pepsi. Os acordos, firmados entre 2002 e 2010, representam milhares de milhões de euros em receitas fiscais perdidas pelos Estados onde as empresas reportam os seus lucros, segundo o ICIJ e os seus órgãos parceiros, incluindo o Le Monde (França), TheGuardian (Reino Unido), Zeitung (Alemanha) e o Asahi (Japão).

LuxleaksDefesa aponta a mira ao grande ausente: Marius Kohl
Os lançadores de alerta foram recebidos por cerca de 300 apoiantes.

Dentro da sala de audiência, a atenção virou-se para o grande ausente em todo o processo: Marius Kohl, o funcionário das Finanças responsável pela autorização de centenas de acordos fiscais realizados entre as multinacionais e o Estado luxemburguês. Mais

JustiçaEscândalo Luxleaks volta hoje à barra dos tribunais
Antoine Deltour, um dos lançadores de alerta.

A mobilização da sociedade civil em torno dos lançadores de alerta Antoine Deltour e Raphael Halet e do jornalista Edward Perrin, está mais ativa que nunca, e está agendada uma manifestação de solidariedade em frente à “Cité Judiciaire”, hoje, às 13h30. De salientar que os arguidos e o Ministério Público recorreram da sentença e o caso volta aos tribunais. Mais

LuxleaksLançadores de alerta "devem ser elogiados e não punidos"
ONG's lutam pelos direitos dos denunciantes e da liberdade de impresa

A mobilização da sociedade civil em torno dos lançadores de alerta Antoine Deltour e Raphael Halet e do jornalista Edward Perrin, está mais ativa que nunca, e está agendada uma manifestação de solidariedade em frente à “Cité Judiciaire”, às 13h30, de amanhã, 12 de dezembro. De salientar que os arguidos e o Ministério Público recorreram da sentença e o caso volta aos tribunais. Mais

EntrevistaA decisão sobre o Luxleaks “foi 80% política”

O escândalo Luxleaks vai voltar aos tribunais na próxima segunda-feira, após as partes envolvidas – arguidos e Ministério Público – terem recorrido da sentença proferida em junho deste ano. O Contacto falou com Cannelle Lavite, especialista sobre a situação jurídica dos lançadores de alerta e colaboradora na Organização Não Governamental da Universidade de Bremen (Alemanha), Blueprint for Speech. Mais

LuxemburgoBruxelas decide sobre acordo fiscal da Amazon em Julho
Se for considerado ilegal, a Amazon poderá ter de devolver 400 milhões de euros em impostos que não foram pagos na altura

A Comissão Europeia deverá pronunciar-se em Julho sobre o acordo fiscal feito entre a Amazon e o Luxemburgo. Segundo a agência Reuters, se for considerado ilegal, o acordo poderá valer 400 milhões de euros em impostos que não foram pagos na altura e que terão de ser devolvidos. Mais

LuxleaksDeltour: Denunciar multinacionais foi um “mal necessário”
Antoine Deltour foi ontem ouvido no tribunal do Luxemburgo no âmbito do processo Luxleaks

Antoine Deltour, o ex-funcionário da PricewaterhouseCoopers (PwC) que esteve na origem do escândalo Luxleaks, não queria que o nome das empresas fosse publicado, mas defende que foi um “mal necessário para mostrar a amplitude do fenómeno” que permitia que às multinacionais pagar um imposto “próximo de zero”. Mais

EDITORIAL: Desobediência
O caso Lukxleaks tem tudo dos blockbusters de Hollywood: vilões que se fazem passar por vítimas, maus da fita celebrados como lendas vivas, indivíduos comuns que saem do anonimato para se tornar heróis, depois injustiçados, muitas peripécias pelo meio e um final...

Os arguidos no processo “Luxleaks”, que começaram a ser julgados na semana passada no Luxemburgo, está a revelar-se um autêntico teatro. Aqui na Redacção já há apostas sobre os actores que vão intrepretar este ou aquele papel quando a história chegar ao cinema. Mais

LuxleaksGoverno questionado por suspeita de interferência no processo
Le procès se poursuit jusqu'à mercredi 4 mai.

Em causa estão declarações de Marius Kohl, o ex-funcionário das Finanças convocado para testemunhar pela defesa de Antoine Deltour, que ontem apresentou atestado médico. Segundo a defesa, o ex-funcionário terá dito ao oficial de justiça que o notificou que não testemunharia sem antes falar com o Ministério das Finanças. Mais

Julgamento LuxleaksFuncionário que carimbou acordos fiscais secretos apresenta baixa médica
LuxLeaks Prozess, Cite Judiciaire, Antoine Deltour, le 27 Avril 2016. Foto:Chris Karaba

Marius Kohl, o funcionário das Finanças do Luxemburgo que conclui centenas de acordos fiscais secretos com as multinacionais, apresentou hoje baixa médica para justificar a ausência no julgamento do processo Luxleaks. O anúncio foi feito esta tarde pelo juiz-presidente e suscitou risos e apupos na sala, num dia com vários momentos burlescos, marcado pelas críticas da defesa à Polícia. Mais

LuxleaksAntoine Deltour: herói ou vilão em julgamento
O julgamento do denunciante do caso Luxleaks, Antoine Deltour, começou ontem

A 13 Outubro de 2010, na véspera do dia em que abandonava o cargo na PricewaterhouseCoopers, Antoine Deltour tomou a decisão que iria mudar a sua vida. Antes de desligar o computador copiou dados sobre acordos fiscais feitos entre multinacionais e o Fisco luxemburguês através da consultora. Mais

JulgamentoSaiba tudo sobre o Luxleaks
Antes do início do julgamento houve uma manifestação de apoiantes de Antoine Deltour

O julgamento de um dos casos mais mediáticos começou ontem, cerca de três semanas depois de os Panama Papers terem sido revelados. Saiba tudo sobre o escândalo que pôs o Luxemburgo debaixo dos holofotes mundiais. Mais

OPINIÃODevolvam o nosso dinheiro
A explosão global do escândalo LuxLeaks, a 6 de Novembro – meros 5 dias após o início de funções de Jean-Claude Juncker – manietou seriamente a suposta renovada dinâmica que a nova Comissão Europeia.

NA RUA DA GRANDE CIDADE, por Hugo Guedes - A explosão global do escândalo LuxLeaks, a 6 de Novembro – meros 5 dias após o início de funções de Jean-Claude Juncker – manietou seriamente a suposta renovada dinâmica que a nova Comissão Europeia se propunha imprimir, logo desde o início, ao projecto europeu. Mais

Caso "Lux Leaks"Juncker sobrevive a moção de censura
Jean-Claude Juncker

O Parlamento Europeu rejeitou hoje por larga maioria a moção de censura à Comissão Europeia, relacionada com o caso dos acordos fiscais secretos entre o Luxemburgo e multinacionais, quando Jean-ClaudeJuncker era primeiro-ministro daquele país. Mais

OPINIÃO: Deslealdade
"Algo, ainda que tímido, terá de ser feito – e é mais do que uma ironia que essa tarefa recaia agora nas mãos de Juncker, sendo ele um dos grandes arquitectos do sistema luxemburguês"

Na rua da grande cidade, por Hugo Guedes - O Luxemburgo saltou para as primeiras páginas do mundo por causa das denominadas “LuxLeaks”. A honra é dúbia, mas mais tarde ou mais cedo era previsível que tal acontecesse numa conjuntura de falta de liquidez e contracção do crédito como aquela em que vivemos há vários anos. Os Estados europeus não têm dinheiro nos seus bolsos, logo é apenas natural que se coloquem questões sobre a prosperidade material de um dos seus mais pequenos congéneres. Mais

PwC já reagiu"Uma campanha contra o Luxemburgo"
Didier Mouget

A empresa de auditoria PwC diz que as notícias vindas hoje a público, sobre acordos fiscais secretos estabelecidos entre o Luxemburgo e 340 multinacionais, à margem dos interesses dos restantes países europeus, fazem parte de uma campanha contra o país, mais do que contra a empresa. Mais

"LuxLeaks"Juncker no epicentro do escândalo

O escândalo do "LuxLeaks" acontece na semana em Jean-Claude Junker deu início ao seu mandato de cinco anos à frente da Comissão Europeia. Juncker foi o primeiro-ministro do Luxemburgo nos últimos 18 anos, altura em que terá sido negociada a maior parte dos acordos fiscais agora revelados pelo ICIJ. Mais