Escolha as suas informações

Dificuldades na escola luxemburguesa conduzem portugueses ao desemprego
Luxemburgo 3 min. 23.10.2014 Do nosso arquivo online
Xavier Bettel

Dificuldades na escola luxemburguesa conduzem portugueses ao desemprego

Bettel e Passos Coelho tiveram uma reunião e um almoço de trabalho
Xavier Bettel

Dificuldades na escola luxemburguesa conduzem portugueses ao desemprego

Bettel e Passos Coelho tiveram uma reunião e um almoço de trabalho
Foto: Anouk Antony
Luxemburgo 3 min. 23.10.2014 Do nosso arquivo online
Xavier Bettel

Dificuldades na escola luxemburguesa conduzem portugueses ao desemprego

O primeiro-ministro do Luxemburgo diz que "muitos portugueses estão no desemprego por causa do sistema educativo" do país, sobretudo no ensino secundário, que "tem por base o ensino do alemão".

O primeiro-ministro do Luxemburgo diz que "muitos portugueses estão no desemprego por causa do sistema educativo" do país, sobretudo no ensino secundário, que "tem por base o ensino do alemão".

As declarações do primeiro-ministro do Luxemburgo foram feitas esta tarde durante a conferência de imprensa conjunta de Xavier Bettel e de Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro de Portugal.

"Há muitos portugueses no Luxemburgo que estão desempregados e esse facto vem provar que o nosso sistema educativo tem um problema: o número de estrangeiros que termina o ensino secundário, que tem por base o ensino do alemão, em termos proporcionais é muito inferior ao número de estrangeiros que temos no país. É por isso que estamos a ver como integrar melhor o ensino das línguas para os estrangeiros", disse Xavier Bettel.

O primeiro-ministro do Luxemburgo disse ainda que em relação aos que querem imigrar para o Luxemburgo é preciso fazer continuar a passar a mensagem de que já não é fácil arranjar trabalho no Grão-Ducado.

"Eu não tenho nenhum problema em dizer que o Luxemburgo tem uma taxa de desemprego que já ultrapassa os 7%, e que temos um grande número de pessoas a dormir em quartos de cafés com rendas altíssimas e que vivem em condições muito precárias. E é por isso que é preciso dizer às pessoas que querem vir para o Luxemburgo que pensem duas vezes antes de tomarem a decisão de virem para cá. Temos de ser honestos e dizê-lo", disse Bettel.

Passos Coelho ouviu e acabou por dizer que o Luxemburgo "já não tem capacidade para absorver mais força de trabalho" por causa do aumento do desemprego. O primeiro-ministro de Portugal reconhece que o número de portugueses que vêm para o Luxemburgo aumentou ligeiramente nos últimos três anos, mas que "isso não é anormal em relação ao passado".

"Portugal foi sempre uma país de emigração. O facto de nos últimos três anos, com a crise económica, se ter intensificado esse processo, não quer dizer que ele seja novo. Apesar de ter havido um ligeiro incremento de portugueses a procurar o Luxemburgo nos últimos três anos, isso não significa um processo anormal em relação ao passado. Os números registados em 2013 estão razoavelmente ao nível de 2007, antes da crise ter começado".

Questionado pelo CONTACTO sobre a origem destes números, Passos Coelho diz que os dados são do Consulado e da Embaixada de Portugal no Luxemburgo.

Ao que o CONTACTO apurou,  entre 2001 e 2008 o Luxemburgo registou, em média, uma entrada anual de quatro mil portugueses . Em 2011-2012, no auge da crise, chegaram ao Luxemburgo 5.193 portugueses, o que representa um aumento de 30%, segundo o relatório da Emigração da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas.

No final da conferência de imprensa, o CONTACTO perguntou ao primeiro-ministro do Luxemburgo se o atendimento no Consulado de Portugal foi tema de conversa entre os dois governantes. Xavier Bettel diz que ficou surpreendido com a resposta da embaixadora.

"Eu falei do Consulado de Portugal e a senhora embaixadora garantiu-me que está tudo bem. Eu vou ver esta noite, durante o encontro com a comunidade portuguesa, se é verdade ou não", disse Bettel ao CONTACTO.

A esta hora, Pedro Passos Coelho está na residência oficial da embaixadora de Portugal no Luxemburgo, onde tem encontro marcado com a comunidade portuguesa.

Quinta-feira, antes de partir para Bruxelas, o primeiro-ministro de Portugal vai à escola do Brill, em Esch-sur-Alzette.

Domingos Martins


Notícias relacionadas

António Costa terminou a sua visita ao Luxemburgo com uma receção para a qual tinham sido convidados 600 representantes da comunidade portuguesa no Luxemburgo. A receção teve lugar no Cercle Cité, no coração da capital luxemburguesa, e contou com a atuação surpresa do fadista Camané.
Ambos os governantes falaram na amizade que une os dois países
A investigadora luxemburguesa Aline Schiltz estuda a emigração portuguesa para o Luxemburgo desde 2003. A viver entre Lisboa e o Grão-Ducado, a geógrafa, de 35 anos, é autora de vários estudos sobre os portugueses, incluindo uma tese de doutoramento em que analisa a mobilidade entre os dois países. Diz que o Luxemburgo se “lusificou” e que a emigração portuguesa levou à criação de um “espaço transnacional” que podia servir de modelo para uma Europa sem fronteiras.
O CONTACTO festeja este ano o seu 45° aniversário. O jornal foi fundado em Janeiro de 1970, para informar a comunidade portuguesa no Luxemburgo. Ao comemorarmos esta data, surgiu-nos uma questão natural. Em que ano exacto situar o início da emigração portuguesa para o Luxemburgo?
Em Junho de 1965 uma missa na catedral do Luxemburgo juntou meio milhar de portugueses para celebrar pela primeira vez o Dia de Portugal no Grão-Ducado.
Depois disso houve um almoço eu ma festa. Foi o primeiro evento organizado pela comunidade portuguesa no Grão-Ducado de que há registo
O primeiro-ministro de Portugal vai estar no Luxemburgo hoje e amanhã. Pedro Passos Coelho vem acompanhado do Ministro da Educação, Nuno Crato, do secretário de Estado das Comunidades, José Cesário e ainda do secretário de Estado das Finanças, Manuel Rodrigues.