Escolha as suas informações

Detidos de Schrassig denunciam falta de condições da prisão

Detidos de Schrassig denunciam falta de condições da prisão

Foto: Gerry Huberty
Luxemburgo 31.03.2018

Detidos de Schrassig denunciam falta de condições da prisão

Segundo alguma imprensa luxemburguesa, os detidos em Schrassig entraram hoje em protesto por causa das más condições da prisão. Por outro lado, o canal RTL só confirmou uma ameaça de protesto.

Os prisioneiros de Schrassig tinham ameaçado por diversas vezes uma ação de protesto, mas hoje, sábado, passaram da ameaça à ação e entraram mesmo em greve, segundo anunciou o diário L'Essentiel. Até ao momento não foram avançados dados concretos do número de presos envolvidos e as formas de protesto.

Por outro lado, o canal luxemburguês RTL salienta que só há a ameaça de protesto, sem confirmar uma ação efetiva segundo as declarações de um porta-voz das autoridades do Luxemburgo.

Nos últimos dias, os presos de Schrassig ameaçaram com protestos as autoridades prisionais. Em causa estão as faltas de condições da prisão luxemburguesa. Os detidos reclamam a sobrelotação da prisão, a falta de condições de trabalho e reintegração na sociedade.

De acordo com o L'Essentiel, a Liga de Direitos Humanos solicitou recentemente novas medidas sociais para os detidos empregados e remunerados.

Esta contestação surge na mesma semana em que foram conhecidos os resultados de um estudo realizado pelas Estatísticas Penais Anuais do Conselho da Europa (SPACE, na sigla em francês) referentes em 2016.

Segundo o relatório anual, o Luxemburgo não figura da lista “negra” dos países com prisões sobrelotadas, mas está muito perto de atingir o limite das suas capacidades, com uma densidade de 99,2 detidos por 100 lugares.

A última onda de protestos em Schrassig remonta a setembro de 2016.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas