Escolha as suas informações

Detalhes da missão luxemburguesa de apoio a Portugal estão a ser negociados
Luxemburgo 2 min. 10.02.2021 Do nosso arquivo online

Detalhes da missão luxemburguesa de apoio a Portugal estão a ser negociados

Detalhes da missão luxemburguesa de apoio a Portugal estão a ser negociados

Foto: AFP
Luxemburgo 2 min. 10.02.2021 Do nosso arquivo online

Detalhes da missão luxemburguesa de apoio a Portugal estão a ser negociados

Madalena QUEIRÓS
Madalena QUEIRÓS
Portugal aceitou a ajuda luxemburguesa. Os ministérios da Saúde dos dois países estão, agora, a negociar pormenores técnicos e logísticos da missão.

Quantos médicos e enfermeiros serão enviados? Onde vão ficar instalados? Em que hospitais irão prestar auxílio? Que equipamento médico será enviado do Luxemburgo para Portugal? Estas são algumas das questões que estão a ser acordadas entre os ministérios da Saúde luxemburguês e português. As negociações para acertar os pormenores logísticos e técnicos da missão luxemburguesa a Portugal iniciaram-se na sexta-feira e ainda estão a decorrer. Mas a hipótese de envio de pacientes portugueses para os hospitais do Grão- Ducado não foi equacionada.

Certo é que Luxemburgo vai enviar apoio para Portugal para ajudar na luta contra a pandemia, como revelou o Contacto. Médicos, enfermeiros e equipamento médico serão disponibilizados em breve. França está também a negociar com Portugal o envio de apoio médico e equipamento hospitalar.


Embaixador português agradece apelo do Partido Pirata para que Luxemburgo ajude Portugal
Até agora, o Grão-Ducado continua sem receber qualquer pedido formal mas mostra-se disponível para ajudar.

Tudo começou com uma questão parlamentar

No dia 19 de janeiro, o Governo luxemburguês mostrou-se disponível para ajudar Portugal, à semelhança do que foi feito na primavera do ano passado quando os hospitais luxemburgueses receberam pacientes provenientes da Grande Região. Recorde-se que numa questão parlamentar o Partido Pirata questionou os ministros da Saúde, Paulette Lenert, e dos Negócios Estrangeiros, Jean Asselborn, sobre se o Governo do Grão-Ducado estaria disposto a receber pacientes portugueses infetados pelo novo coronavírus nos hospitais luxemburgueses. Mas a hipótese de envio de pacientes portugueses não está em cima da mesa.


Transporte de doentes covid graves pode ser feito mesmo com a distância de Portugal ao Luxemburgo
Se vier a ser acionada a oferta de ajuda do Grão-Ducado, a Luxembourg Air Rescue está preparada para responder e explica ao Contacto quais as condições necessárias para transportar este tipo de doentes, entre dois países que distam mais de 2000 km entre si.

Portugal rejeita envio de doentes para outros países

A ministra da Saúde, Marta Temido, assumiu a preferência pelo tratamento dos doentes com covid-19 em Portugal em vez de os transferir para outros países que se mostraram disponíveis para ajudar nesta fase mais aguda da pandemia.

"São hipóteses que, obviamente, consideramos com a maior atenção, sendo certo que, por razões de estabilidade do próprio doente e de resposta em saúde junto do meio familiar, preferiríamos garantir o tratamento no nosso país e o mais possível junto de casa. É um esforço que continuaremos a tentar fazer", disse a governante, a propósito das propostas de auxílio que chegaram de Espanha e da Áustria.

Numa conferência de imprensa no Ministério da Saúde, em Lisboa, na qual fez um ponto de situação sobre o plano de vacinação contra a covid-19, após uma reunião, por videoconferência, com a 'task force', Marta Temido observou que a posição do ministério segue a visão da Comissão de Acompanhamento da Resposta Nacional em Medicina Intensiva para a covid-19 e destacou a aposta no reforço da capacidade instalada do país.

"Iremos procurar garantir primeiro que as respostas sejam ao nível do nosso país. Esperamos que estas duas semanas – que serão ainda semanas de muita pressão sobre os cuidados hospitalares e, sobretudo, os cuidados intensivos – nos permitam manter esta linha de resposta. O que mais nos preocupa é garantir os melhores cuidados aos utentes que deles precisem", acrescentou.

No entanto, a ministra da Saúde assegurou que Portugal vai continuar a "trabalhar e a articular com vários países da União Europeia apoios e colaborações no âmbito do mecanismo europeu", além de "cooperações bilaterais". Desde o início da pandemia morreram em Portugal 14.354 pessoas dos 767.919 casos de infeção confirmados.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas