Escolha as suas informações

Desmantelada organização criminosa que explorava trabalhadores da construção civil no Luxemburgo
Luxemburgo 2 min. 28.10.2021
Crime

Desmantelada organização criminosa que explorava trabalhadores da construção civil no Luxemburgo

Crime

Desmantelada organização criminosa que explorava trabalhadores da construção civil no Luxemburgo

Foto: Matic Zorman / Luxemburger Wort
Luxemburgo 2 min. 28.10.2021
Crime

Desmantelada organização criminosa que explorava trabalhadores da construção civil no Luxemburgo

Ana B. Carvalho
Ana B. Carvalho
A fraude está estimada em 20 milhões de euros sem as possíveis perdas de IVA.

A Polícia Judiciária luxemburguesa, a Polícia Federal belga e a Guardia di Finanza italiana, apoiadas pela Europol, desmantelaram um grande grupo de crime organizado envolvido em fraude e branqueamento de dinheiro.   

A organização criminosa, gerida por uma única família italiana, tinha várias empresas em Itália, Roménia e Eslováquia que recrutavam trabalhadores localmente e enviava-os para os setores da construção nos países da Europa Ocidental, sobretudo no Luxemburgo e na Bélgica. Na Bélgica, cerca de 20 sub-empreiteiros locais terão contratado estes trabalhadores. A condições de trabalho eram frequentemente más e as leis não eram cumpridas , incluindo o limite de horas de trabalho por dia/semana, salário mínimo e férias anuais. 


Tráfico na 'dark web'. Quase 50 pessoas detidas na Alemanha em operação mundial
Para além das detenções, foram apreendidos milhões de euros em moeda física e bitcoins, drogas e armas. Só na Alemanha foram detidas 47 pessoas pela Europol, a polícia europeia.

A investigação europeia revelou ainda que as empresa não tinham atividade nos países onde estavam estabelecidas e que os trabalhadores que contrataram nunca tinham realmente trabalhado para as empresas originais.

A polícia revistou dois locais no Luxemburgo sem efetuar quaisquer detenções. Já na Bélgica, dos 22 locais foram investigados e dez suspeitos foram detidos. Em Itália a polícia fez duas detenções.

A Europol facilitou o intercâmbio de informações e forneceu coordenação operacional e apoio analítico, informou em comunicado. No dia de ação, a Europol enviou dois peritos para a Bélgica e Itália para cruzarem informações operacionais com as bases de dados da polícia europeia, a fim de fornecer pistas aos investigadores no terreno.

As autoridades conseguiram ainda apreender pelo menos 3,5 milhões de euros de carros topo de gama, bens imobiliários, dinheiro e fundos em 350 contas bancárias. Outros 10,6 milhões de euros foram congelados em 16 contas bancárias em Itália, informou a Europol em comunicado. 

A escassez de mão-de-obra, juntamente com a falta de matérias-primas como o aço, vidro e madeira, abrandaram este ano projetos de construção que recomeçaram quase em uníssono, uma vez que as vacinas contra a covid-19 tornaram o local de trabalho menos arriscado. Só no Luxemburgo, a escassez global de materiais de construção causou atrasos em vários projetos de grande visibilidade, tais como o edifício da Comissão Europeia e três escolas secundárias. 

Segundo o Luxembourg Times, as empresas do país procuram ativamente trabalhadores para o setor da conferidos. Este verão, uma empresa foi multada em 7.500 euros e uma segunda em 2.500 pela Inspeção do Trabalho do Grão-Ducado por empregar trabalhadores extracomunitários sem autorização de residência. Algumas empresas de construção foram obrigadas a deixar de trabalhar ou pagaram milhares de euros em multas por terem forçado os trabalhadores a não tirar férias durante o período de verão (em que o setor para quase completamente) ou por não respeitarem os níveis de segurança exigidos. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O ministério público luxemburguês emitiu um comunicado no qual informa que não resultaram quaisquer detenções no seguimento das buscas efetuadas hoje no Grão-Ducado, realizadas também em mais seis países europeus, por suspeitas de fraudes relacionadas com transferências de jogadores e manipulação de resultados na liga de futebol da Bélgica.
Das buscas efetuadas hoje no Grão-Ducado, não resultaram qualquer detido.
Há portugueses recrutados por empresas de construção em Portugal para trabalhar no Luxemburgo que acabam a ser explorados. Recebem salários muito abaixo do mínimo luxemburguês e trabalham domingos e feriados. Sem conhecerem o país nem a língua, são poucos os que apresentam queixa, diz o 
sindicato LCGB.