Escolha as suas informações

Desemprego pode atingir os 9,5% no Luxemburgo já no próximo ano
Luxemburgo 2 min. 25.09.2020

Desemprego pode atingir os 9,5% no Luxemburgo já no próximo ano

Desemprego pode atingir os 9,5% no Luxemburgo já no próximo ano

Foto: Lex Kleren
Luxemburgo 2 min. 25.09.2020

Desemprego pode atingir os 9,5% no Luxemburgo já no próximo ano

Madalena QUEIRÓS
Madalena QUEIRÓS
Caso a epidemia entre num ritmo descontrolado o desemprego pode disparar, diz o STATEC.

Se a pandemia atingir um cenário de descontrolo o desemprego poderá chegar aos 9,5% no Luxemburgo, já no próximo ano. A hipótese é avançada pelo organismo de estatísticas do Luxemburgo (STATEC) no relatório “Projeções Económicas a médio prazo, 2020 – 2024”.

Quanto à evolução do mercado de trabalho, o relatório confirma que “os trabalhadores transfronteiriços estão a sofrer mais com a crise do que os residentes” no Grão – Ducado. A principal razão é o facto de trabalharem em sectores como a hotelaria, restauração, cafés, bares, comércio e transportes que foram os mais afetados pelo confinamento. Assim, o efeito da crise deverá ter um impacto três a quatro vezes maior para os transfronteiriços do que para os residentes, pode ler-se no relatório.

O estudo revela que “o aumento do desemprego no Luxemburgo vai espalhar-se ao longo do tempo”. Principalmente porque as empresas recorreram “massivamente ao desemprego parcial, o que impediu que a taxa de desemprego atinge-se os 8% já em 2020.” O que não impedirá que o desemprego cresça nos próximos anos, até porque em tempos de crise nos países vizinhos “aumentam os fluxos de entrada de trabalhadores” no mercado luxemburguês.

Quanto aos rendimentos, o STATEC aponta para uma queda de 6% no salário médio real no próximo ano.

Recuperação económica em velocidade cruzeiro só em 2024

Em termos de recuperação económica, o Luxemburgo deverá voltar a um crescimento de “velocidade cruzeiro pré-crise”, apenas, em 2024. O crescimento económico deverá ser na ordem dos 3 a 4%, em 2022 e 2023.

Mas os riscos de uma nova vaga de epidemia poderão alterar este cenário, sublinha-se no relatório “Projeções Económicas a média prazo, 2020 – 2024” que acaba de ser divulgado. O quadro de uma “recuperação económica a desvanecer-se numa nova onda de infeções” poderá acontecer até ao final deste ano. O que significará que ao início da recuperação teria que “ser adiada até 2022”.

O relatório refere ainda um cenário mais otimista em que os “avanços científicos permitirão um mais rápido regresso à normalidade” permitira o início da recuperação já em 2021. O STATEC mantêm as suas previsões de crescimento de -6% este ano e 7% em 2021. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Covid-19. Despedimentos em massa no final da crise?
Num confinamento que não se sabe quando terminará, muitos se questionam sobre o futuro pós-covid-19 e o consequente regresso à normalidade. As questões relacionadas com o emprego e como se vai portar a economia do país são de particular pertinência sobre os próximos tempos que muitos temem vir a ser sombrios.