Escolha as suas informações

Descubra as zonas em risco de inundação no Luxemburgo
Luxemburgo 20 18.06.2019

Descubra as zonas em risco de inundação no Luxemburgo

O Vale de Ernz nas últimas inundações

Descubra as zonas em risco de inundação no Luxemburgo

O Vale de Ernz nas últimas inundações
Foto: Armand WAGNER
Luxemburgo 20 18.06.2019

Descubra as zonas em risco de inundação no Luxemburgo

O Ministério do Ambiente divulgou os mapas identificando os locais mais expostos à subida das águas em 2019.

Cerca de 20 mil pessoas, 487 hectares de zonas residenciais e 3.700 hectares de terras agrícolas estão em risco de inundação no Luxemburgo. As conclusões são da ministra do Ambiente, Carole Dieschbourg, que divulgou esta segunda-feira os mapas com as zonas inundáveis no país.

Os documentos permitem localizar as zonas de risco de cheias, distinguindo entre os eventos frequentes (a cada dez anos), raros (cada cem anos) e extremamemte raros, com ocorrência a cada milénio.


Revistos e adaptados de seis em seis anos, com base nos dados da Administração da Gestão da Água (AGE), os novos mapas vão permitir às autoridades identificar as zonas em potencial perigo, de forma a adotar medidas de prevenção e socorro. A iniciativa, sujeita a consulta pública, decorre das obrigações da diretiva europeia sobre inundações. O texto comunitário visa reduzir e gerir os riscos colocados pelas cheias em relação à saúde humana, atividades económicas, património cultural e ambiente.

No Luxemburgo, as zonas em risco continuam a beneficiar de licença de construção, mas o diretor da AGE, Jean-Paul Lickes, prometeu fazer "recomendações e exigências sobre a forma de construir nestas zonas, a fim de evitar prejuízos".

Os mapas identificam apenas as chamadas inundações clássicas, na margem de rios e ribeiros. De fora ficam as inundações repentinas, como as que aconteceram em Ermsdorf em 2016 ou na região de Müllerthal, no ano passado.

Os mapas estão disponíveis ao público até 17 de setembro, no portal das autarquias afetadas ou nos sites da AGE e Ministério do Ambiente.

Marc Auxenfants (tradução Contacto)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas