Escolha as suas informações

Déi Lénk contra videovigilância e bodycams na luta contra a droga
Luxemburgo 28.10.2021
Criminalidade

Déi Lénk contra videovigilância e bodycams na luta contra a droga

Nathalie Oberweis, deputada do partido de esquerda Déi Lénk.
Criminalidade

Déi Lénk contra videovigilância e bodycams na luta contra a droga

Nathalie Oberweis, deputada do partido de esquerda Déi Lénk.
Foto: Guy Jallay
Luxemburgo 28.10.2021
Criminalidade

Déi Lénk contra videovigilância e bodycams na luta contra a droga

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
O partido Déi Lénk (A Esquerda) está contra as principais medidas previstas no projeto de lei sobre o combate à criminalidade relacionada com os estupefacientes.

Nathalie Oberweis, deputada do partido de esquerda, explicou à Rádio Latina que entre as medidas contestadas estão o aumento da videovigilância, a remoção à força de pessoas que ocupam as entradas de edifícios e o uso de 'bodycams', ou seja, câmaras de vigilância nas fardas dos agentes da polícia.

Além destas medidas, o Déi Lénk defende que é "perigoso" passar a enviar pessoas ligadas ao crime de droga para o centro de retenção do Findel, onde estão os imigrantes em situação irregular.

O Déi Lénk diz-se contra a repressão e insta o Governo a continuar a trabalhar na legalização da canábis, seguindo o exemplo da política portuguesa na luta contra a droga.

Nathalie Oberweis, deputada do partido Déi Lénk, defende a legalização da canábis e a sugere ao Governo luxemburguês que regularize o consumo de estupefacientes.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas