Escolha as suas informações

Dados da OCDE: Luxemburgo entre países que mais contribuem para ajudar países em desenvolvimento
Em termos relativos, o Luxemburgo continua a ser um dos países que mais contribui para ajudar os países em desenvolvimento

Dados da OCDE: Luxemburgo entre países que mais contribuem para ajudar países em desenvolvimento

Foto: AFP
Em termos relativos, o Luxemburgo continua a ser um dos países que mais contribui para ajudar os países em desenvolvimento
Luxemburgo 08.04.2015

Dados da OCDE: Luxemburgo entre países que mais contribuem para ajudar países em desenvolvimento

O Luxemburgo faz parte dos cinco países que consagraram no ano passado mais de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB) à ajuda ao desenvolvimento, um dos objectivos do milénio estabelecido pelas Nações Unidas. A lista divulgada hoje pela OCDE é liderada pela Suécia, com 1,10% do PIB, seguida do Luxemburgo, com 1,7%.

O Luxemburgo continua a fazer parte dos cinco países que consagram mais de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB) à ajuda ao desenvolvimento, um dos objectivos do milénio estabelecido pelas Nações Unidas.

De acordo com dados divulgados hoje pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), no ano passado a lista era liderada pela Suécia, com 1,10% do PIB, seguida do Luxemburgo, com 1,7%. Em terceiro lugar vem a Noruega, com 0,99% do PIB, seguida da Dinamarca (0,88%) e Reino Unido (0,71%).

Em 2014, o Luxemburgo investou 427 milhões de euros na ajuda aos países em desenvolvimento.

Em termos de valores líquidos, os Estados Unidos são o maior contribuinte mundial, com mais de 32 mil milhões de euros (0,19% do PIB), seguida do Reino Unido, com com 19,4 mil milhões (0,71%). Portugal consagrou apenas 0,23% do PIB (419 milhões de euros), menos oito milhões que o Luxemburgo.

Segundo a OCDE, "os fluxos de ajudas ao desenvolvimento mantiveram-se estáveis no ano passado, depois de terem batido o recorde em 2013", mas sublinha que dos 28 países que compõem este grupo de doadores, 13 reportaram aumentos nas verbas, enquanto 15 diminuíram a ajuda, "com os maiores declínios a serem registados em Austrália, Canadá, França, Japão, Polónia, Portugal e Espanha".

De acordo com os dados divulgados hoje pelo Comité de Assistência ao Desenvolvimento  desta organização internacional com sede em Paris, a ajuda aos países em desenvolvimento (APD) chegou em 2014 a 135,2 mil milhões de dólares, sensivelmente o mesmo que no ano anterior, revelando uma subida de 66% em termos reais desde o ano 2000, quando foram definidos os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio.

A ajuda bilateral aos países menos desenvolvidos caiu 16% em termos reais, para 25 mil milhões de dólares, de acordo com números preliminares avançados pela OCDE, que diz que "muita desta queda pode ser explicada pelo excecionalmente alto nível de ajuda à dívida da Birmânia em 2013, mas mesmo excluindo este factor, "a APD aos países mais pobres caiu 8%".


Notícias relacionadas