Escolha as suas informações

Custos das obras públicas derrapam no Luxemburgo
Luxemburgo 2 min. 13.02.2020

Custos das obras públicas derrapam no Luxemburgo

Custos das obras públicas derrapam no Luxemburgo

Foto: Guy Jallay
Luxemburgo 2 min. 13.02.2020

Custos das obras públicas derrapam no Luxemburgo

Das autoestradas às infraestruturas desportivas são vários os exemplos que superaram em muito os orçamentos iniciais.

Da auto-estrada do Norte (Nordstrooss) ao novo estádio nacional, as obras públicas, no Luxemburgo, continuam a apresentar derrapagens orçamentais e a custar mais aos contribuintes do que os valores inicialmente contabilizados.

As contas são da RTL, que, num artigo publicado esta quinta-feira, 13 de fevereiro, detalha os custos de algumas das obras públicas mais emblemáticas do Grão-Ducado, nos últimos anos.

Tomando como primeiro exemplo a auto-estrada do Norte, o artigo lembra que o projeto só foi concretizado em 2015, 48 anos depois da assinatura do acordo de princípios, em 1967, e que o orçamento inicialmente destinado à sua construção era de 370 milhões de euros, chegando agora aos 655 milhões.

Na lista da derrapagens orçamentais segue-se o Tribunal  Europeu de Justiça em Kirchberg, com um orçamento inicial de 343 milhões de euros, mas com o custo atual de 410 milhões de euros. 

Também com gastos acima estava previsto, está outro projecto rodoviário, neste caso o da auto-estrada A13, muitas vezes referida como "auto-estrada de Saar". Neste caso, o orçamento inicial era de 243 milhões, mas este acabou por aumentar 34%, situando-se agora nos 326 milhões de euros. Este orçamento, nota ainda a RTL, incluía uma faixa de ligação que nunca foi aberta. 

No campo das instalações desportivas o cenário não é muito diferente. Segundo o mesmo artigo, a renovação da Shell, que deveria ter custado 62 milhões de euros, acabou por ficar em mais de 100 milhões de euros. 

No novo estádio nacional parece seguir a mesma tendência. Com um orçamento inicial para a sua construção de cerca de 60 milhões de euros - já em si o dobro dos 30 milhões anunciados quando da apresentação do projeto, em 2014-, vai já em quase 80 milhões de euros, além dos atrasos na conclusão das obras, cuja conclusão estava inicialmente prevista para janeiro de 2019. 

À RTL TV, o Ministro François Bausch justificou os números com as limitações da legislação anterior. "Antes da reforma da lei do orçamento, apresentámos projectos preliminares sumários. Isso significa que nenhum detalhe foi estudado", afirmou e acrescentou: "Quando a legislação é introduzida, na fase de rascunho sumário, podemos dizer aos membros ou políticos que vai custar 100 milhões de dólares, quando na realidade vai custar 180 milhões de dólares", exemplificou.