Escolha as suas informações

CSV rejeita confinamento total e novo estado de emergência
Luxemburgo 04.11.2020 Do nosso arquivo online

CSV rejeita confinamento total e novo estado de emergência

CSV rejeita confinamento total e novo estado de emergência

Foto: Guy Jallay
Luxemburgo 04.11.2020 Do nosso arquivo online

CSV rejeita confinamento total e novo estado de emergência

Susy MARTINS
Susy MARTINS
O Governo não descarta a introdução de medidas mais restritivas. Mas a presidente do grupo parlamentar do Partido Cristão Social (CSV) defendeu que está fora de questão voltar a instaurar o estado de emergência no país.

Numa entrevista à RTL, a presidente do grupo parlamentar do Partido Cristão Social (CSV), Martine Hansen, defendeu que está fora de questão voltar a instaurar o estado de emergência no Luxemburgo, sublinhando que o Parlamento está apto para tomar decisões. 

Hansen lamenta, no entanto, que o Governo não tenha um plano e um texto que já pudessem ser apresentados aos deputados, o que iria facilitar o trabalho. A presidente da bancada parlamentar do CSV acrescenta ainda que a própria e o partido são contra um confinamento total no Grão-Ducado, e que é preciso esperar para ver que consequências vão ter as medidas que entraram recentemente em vigor. 

O primeiro-ministro, Xavier Bettel, frisou recentemente em entrevista à 100,7, que caso fossem decididas novas medidas numa quarta-feira, teriam de ser aprovadas no sábado a seguir pelo Parlamento. Caso contrário, o estado de emergência poderá voltar a fazer parte dos planos do Governo. Relembre-se que o estado de emergência dá ao Governo a possibilidade de adotar medidas e leis sem que estas tenham de passar pelo Parlamento. O objetivo é conseguir ser mais reativo em situações urgentes como a crise sanitária.

Durante a primeira vaga de infeções, o estado de emergência foi decretado a 18 de março graças a um regulamento grão-ducal cuja validade era de dez dias. Viria a ser prolongado por um período máximo de três meses, tendo 'caducado' a 24 de junho. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas