Escolha as suas informações

'Covid check'. Adeus máscaras! Saiba onde pode estar sem restrições, a partir de 13 junho
Luxemburgo 3 min. 03.06.2021

'Covid check'. Adeus máscaras! Saiba onde pode estar sem restrições, a partir de 13 junho

'Covid check'. Adeus máscaras! Saiba onde pode estar sem restrições, a partir de 13 junho

Foto: Claude Pscitelli
Luxemburgo 3 min. 03.06.2021

'Covid check'. Adeus máscaras! Saiba onde pode estar sem restrições, a partir de 13 junho

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Vai haver locais e eventos exclusivos 'Covid check', onde todos podem sentar-se, dançar e conviver livremente, sem máscaras ou distanciamento, até um máximo de 300 pessoas.

O Covid check, ou 'certificado 3G+', que significa "vacinado, testado ou recuperado", é o bilhete para a liberdade e um salto para  a normalidade a quem comprovar estar numa destas três condições.

A partir de 13 de junho poderá passar a haver restaurantes, bares, cafés com sistema o Covid check para quem quer sentar-se no interior e nalguns casos apenas para clientes com o certificado 3G+. O que significa? É que todos passam a poder estar no mesmo sítio e conviver sem máscara, nem restrições.

Para ter acesso os residentes têm de apresentar o certificado 3G+ em como possuem uma das três condições: estão vacinados, ou já foram infetados e recuperaram, ou mediante a apresentação do resultado negativo do seu teste PCR ou antigénico certificado. Cada uma destas condições vale por si, não é necessário possuir as três juntas. 

A apresentação deste certificado com uma destas condições pode ser feita através da aplicação de telemóvel Covid check ou em papel, sempre com o respetivo código QR pessoal e intransmissível. E sem possibilidade de ser falsificado.

Este código QR passa a ser impresso nos certificados de vacinação, dos testes negativos, ou no comprovativo de teste positivo à covid-19, antigo, estando o residente já recuperado, mas imunizado. E é este comprovativo que dá entrada nos estabelecimentos.


'Covid check'. O que é, quem o pode utilizar, e onde
Código QR anunciado ontem pelo primeiro-ministro vai ditar o regresso a uma vida mais normal aos residentes do Grão-Ducado. Saiba o que é, para que serve, quem o pode utilizar, e onde.

Nos locais não exclusivos Covid check se o residente não possuir nenhuma destas três condições "vacinado, testado ou recuperado", pode realizar um autoteste no local. Nos outros estabelecimentos do setor Horeca, quem apresentar o certificado 3G+ pode reunir-se numa mesa em maior número de pessoas.

Os concertos de música, eventos desportivos ou culturais podem ser também exclusivos Covid check, podendo reunir até um máximo de 300 pessoas. Só entram residentes com certificado 3G+ e podem desfrutar destes eventos como nos velhos tempos, sem máscara, nem distanciamentos sociais.

Nos eventos familiares como casamentos ou batizados pode também optar-se por exclusividade Covid check. Assim, se Todos apresentarem o seu certificado 3G+ , e a mesma liberdade se aplicará.

Tal medida para todas estas situações está prevista na nova lei covid ontem apresentada pelo primeiro-ministro, Xavier Bettel, e ministra da Saúde, Paulette Lenert na conferência de imprensa. Se a lei for votada favoravelmente no parlamento no dia 12 de junho, entra em vigor no dia seguinte.

Este certificado digital covid passará a ser adotado no Luxemburgo, a partir de dia 13 de junho, sendo a sua utilização alargada a nível da União Europeia, a partir de um de julho.

Acesso aos certificados

O certificado de vacinação em como a pessoa está totalmente vacinada estará disponível no Myguichet.lu a partir da administração da segunda dose da vacina.

De acordo com Xavier Bettel e Paulette Lenert, os testes certificados passam a ser válidos por 48 horas, a partir de 13 de junho.  Os testes PCR têm validade de 72 horas.

Há uma outra condição para ser considerado vacinado: os residentes que já estiveram infetados mas que já recuperaram e tomaram a primeira dose da vacina também são considerados vacinados. Ou no caso da vacina da Janssen que é de dose única. 

A pessoa é considerada recuperada da infeção 11 dias após a realização do teste positivo e durante os seis meses seguintes. A ministra da Saúde declarou que os certificados serão passados e distribuídos a partir dos dados que existem.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas