Escolha as suas informações

Covid-19. Trabalhadores independentes vão ter mais apoios do estado
Luxemburgo 2 min. 17.04.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19. Trabalhadores independentes vão ter mais apoios do estado

Covid-19. Trabalhadores independentes vão ter mais apoios do estado

Foto: Getty Images
Luxemburgo 2 min. 17.04.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19. Trabalhadores independentes vão ter mais apoios do estado

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
O Ministro do Trabalho Dan Kersch anunciou hoje estar a estudar novas ajudas para estes trabalhadores, que são cerca de 21 mil no país, para minorar os efeitos da crise sanitária.

O Ministro do Trabalho Dan Kersch tem estado debaixo de fogo pelas declarações que fez na última conferência de imprensa onde deu a entender que os cerca de 21 mil trabalhadores independentes do Luxemburgo não tinham em risco o seu emprego durante a crise sanitária. E que não estavam incluídos na alternativa do desemprego parcial.

Esta tarde e respondendo a uma pergunta dos jornalistas após a conferência de imprensa, Dan Kersch quis clarificar a polémica.  


Formulário para ajuda de 2500 euros a independentes já está online
Concessão deste auxílio está sujeita a várias condições.

“Eu não sou contra os independentes”, declarou o ministro sublinhando, no entanto, que “o desemprego parcial não é um instrumento adequado” para estes trabalhadores. Contudo, anunciou que o governo está a estudar outras alternativas.

“Estou a discutir com os meus colegas do governo outros instrumentos de apoio para os independentes, para manter as empresas dos independentes vivas”, referiu o governante recordando que, na semana passada, o primeiro-ministro também já tinha anunciado estas novas ajudas suplementares.

“Sei que o desemprego vai aumentar vai haver tensões sociais. Vamos fazer tudo o que pudermos para a sociedade sobreviver”, conclui o responsável pela pasta do trabalho.

Carta aberta ao ministro

Há dois dias os presidentes da Confédération luxembourgeoise du commerce (CLC), da Fédération des artisans (FDA) e da Horesca divulgaram uma carta aberta ao ministro Dan Kersch onde frisaram que “os trabalhadores independentes, ao contrário do que parece acreditar, também correm o risco de desemprego”.

Os signatários da carta, Fernand Ernster, Michel Reckinger e Alain Rix, respetivamente os presidentes da CLC, FDA e Horesca recordaram ao ministro que os trabalhadores independentes também recebem “indemnização de desemprego e esta tem condições de acesso mais rigorosas do que para outros trabalhadores, para evitar possíveis fraudes”. 

21 mil trabalhadores no país

 Dos 21.000 "trabalhadores independentes", 18.000 trabalham por conta própria, com uma renda contributiva média mensal que ultrapassa os 4.000 euros, referem os signatários citados pelo Paperjam.


Covid - 19. Governo já transferiu 16,5 milhões de euros para micro-empresas e independentes
Os cerca de cinco mil euros a fundo perdido foram atribuídos a 3300 candidatos.

“Com esses 4.000 euros, muitos também estão a pagar o financiamento dessa aventura de 'negócios', pela qual se endividaram, arriscando todos os dias”, acrescentam estes responsáveis exigindo que “os trabalhadores independentes também possam receber apoios do Fundo de Emprego, para o qual contribuem com os seus impostos”.

Esta tarde o ministro respondeu à missiva anunciando mais apoios para estes trabalhadores. Esta semana, o governo divulgou que os principais bancos do país tinham concedido 7000 moratórias às pequenas e médias empresas e também aos independentes nestes tempos de crise da pandemia.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas