Escolha as suas informações

Todos os partidos da oposição exigem demissão da ministra da Família
Luxemburgo 13.07.2021
Covid-19/Surtos nos lares

Todos os partidos da oposição exigem demissão da ministra da Família

Covid-19/Surtos nos lares

Todos os partidos da oposição exigem demissão da ministra da Família

Anouk Antony
Luxemburgo 13.07.2021
Covid-19/Surtos nos lares

Todos os partidos da oposição exigem demissão da ministra da Família

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
Os quatro partidos da oposição (CSV, ADR, Déi Lénk, Partido Pirata) assinaram a moção que pede a demissão da ministra da Família e da Integração, no seguimento das conclusões do relatório sobre os surtos covid-19 nos lares de idosos.

O presidente do CSV, Michel Wolter, apresentou esta terça-feira uma moção no Parlamento em que os quatro partidos da oposição pedem a demissão da ministra da Família, Corinne Cahen, na sequência da apresentação do relatório independente comandado por Jeannot Waringo para avaliar os surtos nos lares de idosos. 

Uma das conclusões do texto apresentado na segunda-feira é a de que houve alguma "confusão" no que respeita às recomendações emitidas pelos ministérios tanto da Saúde como da Família. Segundo o relatório, por vezes as recomendações não eram claras, sobretudo no que diz respeito às responsabilidades atribuídas.  


Relatório conclui que houve alguma "confusão" na gestão da pandemia nos lares
Estudo independente foi pedido pelo Governo depois de várias críticas às ministras da Saúde e da Família na gestão da pandemia nos lares.

Um dia depois, a oposição apresenta, assim, um pedido de demissão da ministra da tutela, remetendo para os argumentos citados no relatório, nomeadamente, "a ausência de um plano de gestão de crise por parte da ministra" ou "uma degradação da reação das instâncias políticas, em comparação aos países vizinhos, para conter a segunda vaga da pandemia". A moção fala ainda numa comunicação "deficiente" e na falta de estratégia clara no que diz respeito à testagem e vacinação dos grupos prioritários no Luxemburgo.

O estudo independente - da responsabilidade de Jeannot Waringo - tinha sido pedido pelo Governo depois de várias críticas às ministras da Saúde e da Família na gestão da pandemia nos lares.  

Segundo os últimos dados disponíveis, no total houve 53 focos de contágio nos lares do país, sendo que 328 idosos estas instituições não sobreviveram à covid-19. O número representa 43% das mortes totais no país desde o início da pandemia.


Covid-19. 43% das mortes no Grão-Ducado aconteceram em lares de idosos
346 idosos residentes em lares no Luxemburgo morreram com covid-19 desde o início da pandemia.

Os números elevados levaram à indignação dos partidos da oposição que acusaram a ministra da Família, Corinne Cahen, de não ter feito tudo o que estava ao seu alcance para impedir as infeções e as vítimas mortais resultantes. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas