Escolha as suas informações

Previsões apontam para 620 casos diários em setembro
Luxemburgo 11.07.2021
Covid-19

Previsões apontam para 620 casos diários em setembro

Covid-19

Previsões apontam para 620 casos diários em setembro

AFP
Luxemburgo 11.07.2021
Covid-19

Previsões apontam para 620 casos diários em setembro

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
Segundo as projeções publicadas no final da semana passada, o Grão-Ducado arrisca uma média de mais de 600 novos casos diários de covid-19 em setembro, se os valores se mantiverem como agora.

A pandemia ainda não acabou e podemos estar prestes a enfrentar mais uma fase desafiante. Com o aumento exponencial de casos diários nas últimas semanas, as projeções para os próximos meses não são animadoras. 

Na semana passada, houve um aumento de 635% de novas infeções (no espaço de sete dias, o Grão-Ducado passou de 107 para 787 casos). O cenário não é animador, apesar da campanha de vacinação estar a avançar e o país já ter administrado mais de 600 mil doses da vacina contra o vírus. 


Luxemburgo foi o segundo país do mundo a lidar melhor com a pandemia
O Grão-Ducado só é ultrapassado pela Finlândia no combate ao vírus.

Segundo estimativas do Ministério da Saúde, a presença da variante Delta, mais contagiosa, pode levar a 600 casos por dia em setembro, o que significa que podemos esperar um outono desafiante no combate à crise pandémica. 

Esta variante é cerca de 50% mais transmissível do que a variante Alfa, detetada pela primeira vez no Reino Unido, e que foi a responsável pelo pico de casos em janeiro no Grão-Ducado. 

O grupo de trabalho Covid-19 recomenda, portanto, a adesão a medidas de segurança como o distanciamento social, o cumprimento de medidas de higiene e o rastreio de contactos, a fim de quebrar cadeias de infeção. 

Isto porque o meio familiar já não principal foco de infeções, mas sim, as atividades de lazer como sair à noite. As saídas à noite e os festejos do  feriado nacional foram responsáveis por grande parte dos casos identificados. 

Os atuais focos podem desencadear uma retorno significativo da epidemia, como se verifica atualmente no Reino Unido e em Israel, apesar de 60% da população estar a ser vacinada. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas