Escolha as suas informações

Covid-19 obrigou à suspensão de despejos, mas não nos casos de violência doméstica
Luxemburgo 30.03.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19 obrigou à suspensão de despejos, mas não nos casos de violência doméstica

Covid-19 obrigou à suspensão de despejos, mas não nos casos de violência doméstica

Foto: Arquivo LW
Luxemburgo 30.03.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19 obrigou à suspensão de despejos, mas não nos casos de violência doméstica

Diana ALVES
Diana ALVES
Aviso foi dado pela ministra da Justiça, Sam Tamson, nas redes sociais.

O Luxemburgo está a meio gás por causa da luta contra o coronavírus. E a situação também se reflete na Justiça, com a suspensão de vários prazos judiciais e medidas como os despejos. Mas a ministra da tutela assegura: as medidas excecionais não vão perdoar os autores de violência doméstica. 

Numa mensagem divulgada na página do governo na rede social Facebook (em baixo), Sam Tanson lembrou que embora a situação atual tenha levado à suspensão de uma série de medidas, como os despejos de habitações ou de espaços comerciais, os agressores expulsos do domicílio por violência doméstica continuam a ser obrigados a abandonar a habitação, de forma a proteger as vítimas. 

Note-se que os especialistas prevêem que os casos de violência doméstica aumentem nesta fase de confinamento e isolamento social. A própria ministra do Interior, Taina Bofferding, alertou recentemente para essa possibilidade.


Dez agressores expulsos em casos de violência doméstica numa semana
Um número"que é provável que aumente", diz Laurence Bouquet, psicólogo da Cruz Vermelha.

Durante a primeira semana de confinamento, decretado a 17 de março, a polícia luxemburguesa interveio cerca de dez vezes em casos de violência doméstica para expulsar agressores.

No Luxemburgo há várias associações que prestam apoio às vítimas de violência doméstica. É o caso da SOS Détresse, que gere a linha telefónica de apoio 45 45 45. O respetivo site, como o mesmo nome está disponível em várias línguas, incluindo português.  


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas