Escolha as suas informações

Covid.19. Mais de 2.500 contactos com novas infeções foram identificados nos últimos cinco dias
Luxemburgo 3 min. 19.07.2020

Covid.19. Mais de 2.500 contactos com novas infeções foram identificados nos últimos cinco dias

Covid.19. Mais de 2.500 contactos com novas infeções foram identificados nos últimos cinco dias

Foto: Shutterstock
Luxemburgo 3 min. 19.07.2020

Covid.19. Mais de 2.500 contactos com novas infeções foram identificados nos últimos cinco dias

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
A Direção da Saúde assume ao Contacto a dificuldade dos seus serviços em identificar as pessoas que estiveram em contacto com os novos infetados, mas cabe ao Governo decidir a implementação de uma App de rastreio.

Para a Inspeção Sanitária está a ser cada vez mais difícil conseguir identificar todas as pessoas que estiveram em contacto com os indivíduos que testaram positivo para a covid-19 assumiu a Direção da Saúde ao Contacto. Isto acontece devido ao elevado aumento dos casos de infeção no país. 

Este sábado, registaram-se 74 novas infeções no Luxemburgo, um número inferior registado na sexta-feira, que chegou aos 124 novos infetados. Como explicam os cientistas e a ministra da saúde admitiu  o Luxemburgo está a atravessar a "segunda vaga" da epidemia.

“Durante as últimas duas semanas, a equipa de rastreio de contactos da Inspeção Sanitária tem vindo a gerir mais de 400 novos casos de covid-19 por semana e, só nos últimos 5 dias, mais de 2.500 pessoas que estiveram em contacto com estas novas infeções foram identificadas, contactadas e informadas sobre as medidas a tomar”, explicou ao Contacto a Direção da Saúde. “É um facto que, com o aumento das infeções, é cada vez mais difícil assegurar o rastreio dos contactos [das pessoas infetadas], o que requer um grande investimento em tempo e competências humanas, independentemente dos meios informáticos e tecnológicos”, acrescentou.

No entanto, as equipas não vão baixar os braços. “Dada a importância do rastreio de contactos na diminuição da transmissão viral no nosso contexto atual, esta atividade será mantida na medida do possível”, frisa a Direção da Saúde.


Imagem ilustrativa
Covid-19. Inspeção Sanitária não consegue rastrear pessoas que contactaram infetados
A equipa da Inspeção Sanitária responsável pelo rastreamento de contactos com infetados tem capacidade para acompanhar cerca de 60 novas infeções por dia.

 Pessoas infetadas fazem os contactos

Já esta semana o Diretor da Saúde, Jean-Claude Schmit tinha declarado à rádio 100.7 que estes serviços de rastreamento de contactos estavam “sobrecarregados”. De acordo com este responsável, os serviços têm capacidade para acompanhar cerca de 60 novas infeções por dia, um número que tem sido ultrapassado.

Consciente de que o rastreamento de contactos tem de ser eficaz a Direção da Saúde avança que “estão atualmente a ser pensadas formas de apoiar este rastreamento de contactos”.   a Neste momento, “o público está a ser encorajado a facilitar o trabalho da Inspeção Sanitária, através da sua comunicação de forma transparente da informação útil”.

De facto, o Diretor da Saúde Jean-Claude Schmit na entrevista à rádio 100.7 pediu às pessoas que testem positivo, para contactarem elas mesmo as pessoas com quem estiveram. Essas pessoas poderão assim colocar-se em quarentena, sem ser preciso esperar pelo telefonema da Inspeção Sanitária.

Governo decide App de rastreio

No Luxemburgo, o rastreio de contactos é feito de forma manual, por isso, a sua capacidade limitada. Por isso, vários cientistas do país têm defendido a implementação de uma aplicação de rastreamento de contactos para telemóvel à semelhança do que já existe em vários países. Este seria um método complementar que aumentaria a eficácia do rastreamento de contactos.

O Contacto questionou a Direção da Saúde sobre a possibilidade do Luxemburgo aderir a uma App de rastreamento, mas “ cabe ao Governo decidir se este instrumento será implementado” no Grão-Ducado.


Rastreio saturado. País em risco de voltar à fase mais grave de contágios
Quem o afirma é o investigador Paul Wilmes que defende a implatação imediata de uma App de rastreamento de contactos dado que os os serviços da Inspeção Sanitária estão sobrecarregados.

 Rastreio manual

 Nas condições normais, os serviços de rastreamento da Inspeção Sanitária contactam quem testou positivo para a infeção pelo novo Coronavírus e pergunta a esta pessoa com quem esteve e onde esteve nas últimas 48 horas. Os serviços ficam com toda a informação e depois contactam todas as pessoas em questão pedindo para estas entrarem em quarentena. Dentro de dias estas pessoas que estiveram e contactaram com os novos infetados irão também elas realizar o teste de despistagem. Se testarem positivo continuarão em quarentena e serão vigiadas, se o resultado for negativo podem retomar a sua vida normal.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas