Escolha as suas informações

Covid-19. Luxemburgo tem menos de 150 ventiladores e vai comprar 30
Luxemburgo 2 min. 17.03.2020

Covid-19. Luxemburgo tem menos de 150 ventiladores e vai comprar 30

Covid-19. Luxemburgo tem menos de 150 ventiladores e vai comprar 30

Foto: Chris Karaba
Luxemburgo 2 min. 17.03.2020

Covid-19. Luxemburgo tem menos de 150 ventiladores e vai comprar 30

Redação
Redação
O diretor do Centro Hospitalar do Luxemburgo (CHL) considera que o Grão-Ducado está "bem equipado face à pandemia". O CHL tem 15 camas reservadas para doentes infetados pelo coronavírus.

O Covid-19 está a pôr à prova a capacidade do sistema de saúde do país. Por enquanto, segundo garante o diretor do Centro Hospitalar do Luxemburgo (CHL),  Romain Nati , os profissionais do setor estão a fazer o seu trabalho, garantindo que os hospitais estejam preparados para a pandemia. 

Embora o país tenha oficialmente 81 casos do coronavírus Covid-19, nem todos requerem tratamento hospitalar devido aos seus sintomas e estão a ser tratados pelo seu médico de clínica geral. 

Para casos mais graves, o Serviço Nacional de Doenças Infecciosas da CHL dispõe actualmente de 15 camas reservadas para doentes infetados pelo coronavírus."Atualmente, nove pessoas estão hospitalizadas lá, uma das quais está ligada a um ventilador", disse o Dr. Romain Nati, diretor geral do hospital, à edição francesa do Luxemburger Wort. 


"Confinamento total" pode vir a ser decretado no Luxemburgo
A ministra da Saúde luxemburguesa admitiu hoje que "o confinamento total" pode vir a ser decretado como noutros países.

Em todo no CHL existem 50 camas para casos graves. No país, existem no total dos hospitais, 169 camas para doentes sujeitos a terapias intensivas, podem ser parcialmente mobilizadas para a crise do coronavírus, embora muitas estejam ocupadas por doentes com outras patologias. 

O serviço instalado na Route d'Arlon tem ainda "24 ventiladores disponíveis e pode aumentar esta capacidade para 50", assegura o médico. Especializado em pneumologia, Romain Nati lembrou que "o coronavírus é uma doença viral que pode se tornar numa pneumonia". Como não há medicamentos para tratar o vírus, em alguns casos, o paciente deve ser colocado em ventilação mecânica". 

O país terá entre 120 e 150 ventiladores, portanto, se a CHL for submergida, a carga será redistribuída entre os quatro hospitais do país. A Direção de Saúde decidiu encomendar mais 30 aparelhos ventiladores. A Ministra da Saúde, Paulette Lenert (LSAP), por sua vez, anunciou que "dois aviões da Cargolux estão prontos para partir e recolher todo o equipamento que o país precisaria".


Covid-19. Governo disponibiliza alojamento para trabalhadores transfronteiriços
Perto de alguns hospitais serão criadas creches para acolher os filhos dos funcionários do sistema de saúde.

 

 A vice-diretora de saúde, Dra. Françoise Berthet, no entanto, salientou que a principal questão "não é a do equipamento, mas sim o pessoal que sabe como usá-lo". "Para que os cuidados sejam prestados adequadamente", explicou ela, "é necessário treino e prática". A capacidade de resposta pode ser limitada se o pessoal estiver ausente, doente ou em quarentena". 

Recorde-se que embora 80% dos infetados pelo coronavírus sofram apenas de sintomas ligeiros, há uma percentagem significativa dos restantes que vão ter dificuldades respiratórias que exigem a utilização de ventiladores. Em Itália, a falta de ventiladores tem levado aos médicos a não conseguirem salvar todos os doentes. Recentemente, a China mandou mil ventiladores para o país para tentar aliviar a situação.   

Redação Contacto com Olivier Tash (edição francesa do Luxemburger Wort).

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Pacientes desta segunda vaga são mais jovens
“Que se diga que é a segunda vaga ou não, não é importante. Facto é que o número de casos de covid-19 tem aumentado no Luxemburgo”. Palavras proferidas esta manhã pelo diretor-geral do Centro hospitalar do Luxemburgo, Romain Nati, em entrevista à RTL.
Rockhal e LuxExpo abrem portas à pandemia
Além da sala de espetáculos de Esch-sur-Alzette, a LuxExpo também vai reforçar a capacidade de resposta dos quatro hospitais luxemburgueses destacados para o combate ao novo coronavírus. As termas de Mondorf vão ser readaptadas tal como o Däichhal em Ettelbruck.
Imagem do exercício antiterrorista que se realizou hoje na Rockhal (Belval) em 2019